domingo, 27 de dezembro de 2015

Desistir, jamais!



24 de dezembro de 1988
Todos os moradores da pequena cidade de Monte Alegre estavam em festa. 
Era noite de Natal e, na casa de seu Benedito e dona Maria, havia um motivo a mais para comemoração. Acabava de nascer seu segundo filho, um menino lindo, que por sugestão de sua irmã Carla, recebeu o nome de Jesus.
Seu Benedito, um sujeito simples, trabalhava como gari; se realizava com um mero sorriso das pessoas que passavam por ele, sempre apressadas. 
Dona Maria, uma mulher batalhadora e companheira, mesmo nos momentos difíceis, mantinha a alegria e uma palavra de fé e otimismo. Era a conselheira do bairro, por isso, a sua casa estava sempre cheia.
Carla, uma menina meiga, vivia cantando e sentia muito orgulho de seus pais. Sonhava em ser médica para poder curar as pessoas. Aquela família humilde e sem muitas ambições era querida por toda a vizinhança. Seu Benedito e dona Maria não mediam esforços e trabalhavam muito para um dia verem a filha formada.
16 de dezembro de 1998
O tempo passou rapidamente sem pedir licença. Carla, como toda adolescente, levava uma vida feliz. Vivia rodeada de amigos, festejando e alegrando as pessoas.
Jesus acordava todos os dias, com a cantoria da sua irmã, que parecia uma cantora profissional, e com o cheiro do café da sua mãe, que para ele era o melhor café do mundo. À mesa do café da manhã, ouvia as músicas caipiras ao lado do pai e suas gargalhadas intermináveis. Para seu Benedito tudo era engraçado.
17 de dezembro de 2000
O dia mais esperado para a família de seu Benedito, finalmente chegou. O dia da formatura de Carla. Nesse dia, o sol resolveu nascer mais cedo, para dar bom dia ao seu Benedito. Ele foi trabalhar com um largo sorriso no rosto. E em meio à poeira e ao lixo, ele era a pessoa mais feliz do mundo, pois, valorizava todos os momentos da vida. Fazia questão de contar aos amigos sobre a emoção que estava sentindo.
À noite, Carla estava radiante e não parava de cantar. Sabia que em breve estaria iniciando o ensino médio e se esforçaria ao máximo para tentar realizar seu sonho. Seu irmão só observava aquele momento mágico da sua família. Ele achava muito engraçado a indecisão do pai quanto à escolha da roupa. Para Jesus, aquele momento poderia durar eternamente.
Mas foi nessa noite, que Jesus descobriu, que nada dura para sempre. Foi quando a lua se recusou a aparecer, talvez não querendo presenciar aquele terrível momento para a sua família. O momento que mudaria para sempre a sua vida e a vida do seu pai. A lua, antes companheira, não quis ser testemunha de tanta dor.
A caminho do clube aonde seria realizada a formatura, um carro dirigido por um jovem bêbado que estava fazendo racha com os amigos, tirou a vida da jovem Carla e da sua mãe. Pela primeira vez, Jesus viu seu pai chorando. Era uma cena horrível, surreal.
Aos doze anos de idade, Jesus descobriu que a vida não era tão perfeita como ele imaginava e que a dor existia e estava muito perto, só esperando a hora certa para se instalar em seu coração. Ele viu o tempo passar e levar embora sua infância e seus sonhos.
10 de fevereiro de 2002
Seu Benedito perdeu a fé e desistiu da vida. Largou o emprego e se entregou à bebida.  Muitas vezes passava a noite caído em frente ao bar ou voltava para casa carregado pelos amigos.
Jesus só se alimentava com a sopa da escola e era motivo de chacota pelos colegas. Ele andava com o sapato furado e a calça rasgada. Seu pai se tornara um boêmio, quase nem se alimentava mais.
Então, Jesus resolveu sair da escola e começou a trabalhar numa oficina que ficava ao lado da sua casa. Muitas vezes chorava quando via seu pai, seu herói, o homem com o maior coração do mundo, se acabando aos poucos com a bebida.
Jesus não entendia porque a vida estava sendo tão cruel com seu pai, um homem praticante do bem. Seguindo os conselhos de uma cliente da oficina, Jesus foi à igreja para acalmar a dor do seu coração. Quando entrou, estranhou o que viu pela frente, o lugar era grande e luxuoso, não era o lugar simples que sua mãe sempre dizia ser a casa de Deus. Ele notou que as pessoas estavam todas bem vestidas e olhavam de soslaio para ele. Talvez, pela barba que estava grande ou pela roupa velha, quem sabe!
Tudo o que ele queria, naquele momento, era ouvir uma palavra amiga, receber um gesto de amor. Na saída, ainda esperou um pouco para ver se alguém se aproximava dele, mas em vão. Enquanto as pessoas se dirigiam aos belos carros no estacionamento, passavam por ele sem notá-lo.
Com o dinheiro que ele ganhava na oficina e com a ajuda do seu patrão, pôde colocar e manter o pai numa clínica de recuperação.
21 de dezembro de 2005
Com muitas dificuldades para conseguir algo melhor, aos dezoito anos, Jesus voltou a estudar e foi quando conheceu a garota da sua vida.
Paula era uma garota linda, com um belo sorriso e um coração enorme. Ela despertou nele um sentimento que há muito tempo havia sumido. Era um sentimento bom que fazia seu coração bater mais forte e feliz.
Paula ajudou-o a superar seus traumas da época do colégio e o que parecia impossível tornou-se real, ele terminou o ensino médio. Ela mostrou para ele que os desafios da vida valem a pena e não se deve nunca deixar de sonhar; e que os estudos tinham apenas começado.
Tendo Paula como a sua grande incentivadora, Jesus entrou para a faculdade, conseguiu um bom emprego e mais tarde, casou-se com ela. Seu Benedito estava recuperado e orgulhoso do filho. Eram companheiros um do outro. Formaram uma bela família.
16 de dezembro de 2013
Mesmo com muitas dificuldades, Jesus conseguiu se formar. Afinal, não era fácil trabalhar e estudar. Sua alegria ficou ainda maior, quando soube que seria pai.
Quando seu Benedito recebeu a notícia de que seria avô de uma menina, não se conteve, desmanchou-se em lágrimas.
O sol nasceu mais cedo para contemplar aquele dia maravilhoso e sorrir para seu Benedito. Ele estava muito feliz, com os olhos cheios de lágrimas. Agradeceu a Deus por tê-lo mantido em pé, mesmo depois dele ter perdido a fé.
Deus deu a ele uma nova chance para poder presenciar aquele momento, a formatura do filho amado. Mostrou que a pessoa deve acreditar sempre, mesmo nas horas mais escuras, em que tudo parece estar perdido.
Durante a festa de formatura, o abraço que Jesus deu no pai fez com que o tempo parasse e trouxesse de volta à lembrança, a imagem da mãe e da irmã. As lágrimas que cobriam o rosto dele se transformaram em sorrisos e todos aplaudiram.
Doutor Jesus acordava cedo todos os dias, ouvindo a cantoria da sua filha que recebeu o nome de Carla e com o cheiro delicioso do café de Paula, sua esposa. Sentia a maior felicidade do mundo quando sentava para tomar o café da manhã ao lado do pai, ouvindo as músicas caipiras e suas gargalhadas. 

Colaboração de P.W.M.


22 comentários:

  1. Jesus passou por muitas provações mais jamais perdeu a fé ,e com isso conseguiu ser feliz ,parabéns linda história

    ResponderExcluir
  2. Lindo conto!!! A tragédia me pareceu desnecessária a princípio; depois no decorrer dos acontecimentos, entendi todas as mensagens que a autora quis passar. Aprovado, Cidália!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vera, gosto muito das suas críticas. Beijos!

      Excluir
  3. E eu gosto de ser uma crítica! rsrsrs! Beijão

    ResponderExcluir
  4. Que lindo, Cidália! :) Você tem um longo caminho como escritora!
    As provações que passamos sempre tem um propósito e jamais devemos desistir!
    Adorei
    Beijão
    www.omundodalilica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não imagina como fiquei emocionada com suas palavras, Lilian!
      Sim, temos que entender os propósitos divinos, por mais difícil que seja.
      Obrigada, beijos!

      Excluir
  5. Que história linda de superaçao,Jesus foi digno de todas as suas vitórias

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post muito inspirador. Realmente bola pra frente desistir jamais; Beijos

    ResponderExcluir
  7. Que belo texto!
    Desistir não é uma opção. Por mais difícil que pareça devemos perseverar.

    Beijinhos,
    Aline Magalhães
    Alineland

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Verdade, devemos perseverar sempre!
      Beijinhos.

      Excluir
  8. Quando que sai teu livro hein guria? porque simplesmente tu arrasa. Vou comprar o primeiro exemplar, beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe? É meu sonho!! Hoje vou dormir super feliz depois de ler seu comentário.
      Obrigada, beijão!

      Excluir
  9. Desistir nunca! Parabéns pelo texto. Beijão

    ResponderExcluir
  10. Nossa, Cidália. Achei o texto simplesmente sensacional. Fiquei muito contente que tenha comentado sobre ele em um comentário em meu blog. Adorei o texto. Como sempre, só resta parabenizá-la pelo lindo texto. Parabéns.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, mais uma vez, pelo incentivo!
      Penso que temos muito em comum em nossos textos.
      Valeu!
      Abraços.

      Excluir