domingo, 18 de setembro de 2016

Em busca da felicidade

Selma teve uma infância sofrida. Ficou órfã de pai aos quatro anos de idade. Era a irmã do meio. Sua mãe, muito nova, viúva, com três filhos pequenos contou com a ajuda dos pais.
Uma menina branquinha de cabelos encaracolados. Se dava bem com a irmã mais velha.  Eram unidas. Juntas passaram por momentos difíceis enquanto o pai era vivo e depois que o perderam, a vida se tornou mais ingrata.
Como toda criança da sua idade, Selma aproveitou a infância, no tempo livre, quando não precisava entregar a roupa que a mãe lavava para fora. Desde pequena sempre foi trabalhadeira. Ajudava a cuidar do irmão mais novo e conforme foi crescendo, ajudava nas tarefas do dia a dia.
Aos dezesseis anos de idade foi morar com uma tia na capital. Não terminou os estudos. A tia a empregou na casa de uma bailarina. Selma, começou, então a cuidar da casa e aprendeu com a patroa muitas coisas.
Dois anos depois voltou para sua cidade e começou a trabalhar no restaurante de uma empresa. Aos vinte anos estava casada e já era mãe de uma linda menina. Por incompatibilidade, o casamento não durou muito. Selma ficou sozinha com uma filha para cuidar. Ela recorreu à sua mãe, porque não quis depender de pensão do ex marido, para criar a filha.
Tudo parecia mais difícil para ela do que para suas amigas. Porém, Selma não se abalava.; espelhava-se na mãe. Tornou-se uma exímia cozinheira, uma mulher prendada, que fazia tudo com amor. Teve alguns namorados, afinal, tinha o direito de se divertir.
Alguns anos depois voltou a se casar e teve mais duas filhas. Ela sempre trabalhou e junto com o marido, começou a construir uma casa. O marido era muito trabalhador, só que tinha lá seus defeitos. A convivência entre os dois foi se tornando, cada vez mais, intolerante. A filha mais velha foi morar com a avó; seu relacionamento com o padrasto não era bom.
Numa certa noite, num acidente estúpido, o marido perdeu a vida. Selma não se deixou abater, começou a costurar para fora. Uma nova profissão depois de fazer o curso de costureira. Como tudo que ela fazia, as roupas feitas por ela, eram bem feitas.  Pegou gosto pela costura, assim como gostava de cozinhar e de fazer faxinas.
Começou um relacionamento com um homem de fora que viera trabalhar na cidade. Só depois que ele perdeu o emprego e foi embora, ela ficou sabendo que ele era casado. Um mentiroso.
Começou a conversar em salas de bate papo e chegou a conhecer alguns homens. Estava a procura de um novo amor. Com a filha mais velha, casada e as outras duas moças feitas, Selma sentia a necessidade de um companheiro.
Sabia que tinha o direito de ser feliz. Será que a vida ainda lhe reservaria este prazer? Ela tinha que tentar. Não era possível que todos os homens fossem mentirosos. E com essa esperança, continuou buscando o príncipe encantado.
Algumas tentativas frustradas e Selma conheceu Rogério. Um homem de meia idade, charmoso, bonitão. Resolveram morar junto para ver se daria certo. Ele era separado e tinha dois filhos.
No começo tudo ia bem, sentiam-se atraídos um pelo outro. Passado algum tempo, o comportamento do Rogério foi mudando. Selma começou a refletir: "Insistir naquilo que já não existe, é como calçar um sapato que não te cabe mais nos pés! Machuca, causa bolhas, chega a carne viva e sangra. Então melhor é ficar descalça. Deixar livre o coração, enquanto vive… Deixar livre os pés, enquanto cresce… Porque quando a gente cresce o número muda."
Ah, como era difícil tomar uma decisão! Ao mesmo tempo que pensava em desistir, temia se arrepender mais tarde. No fundo ela o amava, só precisava ter certeza do amor que ele sentia por ela. Voltar a viver sozinha já não a atraía. Sabia que não podia viver com as filhas, cada uma tinha a sua vida. Teria que ter uma conversa franca com Rogério para tomar uma atitude.

Será que eles merecem  uma nova chance? O amor que sentem um pelo outro é suficiente para mantê-los unidos?
Selma continuará na busca incessante pela felicidade ou descobrirá que a felicidade não depende de ninguém, que está dentro de si? 

Sua visita me deixa muito feliz, obrigada!
                           Não deixe de acompanhar um novo conto a cada domingo!
                      Em breve mais um capítulo do conto  "A casa ao lado." 
Beijos,
    Cidália      


56 comentários:

  1. Acho que o amor é uma coisa bastante complicada e as decisões que tomamos nela é muito mais ainda, mas quando se trata de estar com alguém, é primordial querer sempre o nosso bem estar, porque se colocar em perigo por outra pessoa não vale a pena!

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo comentário, Greice!
      Amei a sua opinião!

      Beijos ❤

      Excluir
  2. Que graça esse conto.
    O amor sempre merece uma chance! 💕

    ResponderExcluir
  3. Amo contos! Não sabia dessa coluna aos domingos!!
    Estarei aqui sempre!
    Parabéns pelo conto! <3

    #Ana

    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  4. Ooi! Gosto muito de contos, e confesso que no início achei que fosse uma resenha >< a última parte é bem reflexiva. A felicidade nunca deve estar depositada em alguém, porque pessoas decepcionam. Minha felicidade está no Amor, que cuida de mim e me ama.
    Parabéns pelo conto!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ruhh! Pois é, meus contos parecem resenhas. Quando comecei a escrever pensei nas pessoas que conheço e têm preguiça de ler. Foi a maneira que achei para incentivá-las à leitura.
      Adorei sua reflexão!
      Obrigada, beijos! ❤

      Excluir
  5. Oi!
    Que conto bonito. O amor é difícil, não é tão fácil quanto parece. Ainda mais quando é preciso tomar decisões. Amor também é feito de escolhas. Adorei o conto, publique mais =)

    bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anelise!
      Verdade, o amor nem sempre é fácil de ser encontrado.

      Obrigada, beijos! ❤

      Excluir
  6. Se existe amor vale a pena lutar mais só se esse amor for de ambas as partes Selma precisa primeiro se gostar .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Cleuza! O amor para ser bom precisa ser mútuo.

      Obrigada, beijos! ❤

      Excluir
  7. olá Cidália,
    O amor é algo muito difícil de se falar, pois cada um sente e demonstra de uma forma. A Selma foi uma mulher que sofreu bastante e se mostrou forte e determinada. Acho que se eles se amam, merecem uma nova chance de ficarem juntos.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruna,
      Ah, o amor, esse sentimento tão sublime e muitas vezes tão complexo!!
      Gostei da sua opinião, obrigada!
      Beijos ❤

      Excluir
  8. Oi, Cidália. Gostei muito do conto desta semana. É impressão minha, ou esse conto também promete novos capítulos? Bem, sou o tipo de pessoa que acha que antes de termos outra ao lado devemos ter amor por nós mesmo. Acredito que a felicidade desta dentro de nós, as outras pessoas são bem-vindas, mas para intensificar essa felicidade já existente. Assim, quando o relacionamento passa a ser um peso, devemos tomar uma atitude. Talvez, o primeiro passo seja uma conversa, como Selma sugere no final do conto, aí, caso as coisas continuem insuportáveis, acho que não vale persistir do pesar, como disse a felicidade esta dentro de cada um de nós e não nos outros. Espero que a Selma perceba isso, afinal das contas, amor é bom desde que traga sentimentos bons. Espero que tenhamos novos capítulos dessa história para saber o destino de Selma.
    Obs: estou contando os dias para poder ler o próximo capítulo do conto "A casa ao lado". :)

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leandro, obrigada!
      Vocês ficam me enchendo de ideias e já estou pensando em dar continuidade nesse conto também.
      Você tem razão, a felicidade está dentro de nós e muitas pessoas não enxergam. Adorei a sua opinião! Aguarde!!
      Obrigada, abraço.

      Excluir
  9. Olá Cidália,
    Adorei ler seu conto. A Selma me parece ser uma pessoa que realmente gosta de viver os prazeres da vida, acredito que na idade dela, com as filhas já crescida muita gente irá deixar a vida como estava e manter-se sozinha apos a morte do marido. Mas ela não quer isso, porém isso põem novos desafios a vida dela, já que talvez ela tente resgatar o mesmo tipo de amor que tinha pelo marido. Mas as pessoas são diferentes.
    Fiquei curiosa para saber se terá uma continuação. Espero que dê tido certo para ela.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thiana,
      Que bom, fico feliz em saber que gostou do meu conto!
      Sim, algumas mulheres se acomodam depois de certa idade e a Selma não gosta de viver sozinha.
      Aguarde!!
      Obrigada, beijos. ❤

      Excluir
  10. Olá!
    Gostei muito do seu conto. Acho que o amor é muito subjetivo e acho que só passar por essa experiência nós mesmo nos fará conseguir decidir sobre uma coisa ou outra. Fiquei curiosa para saber o que ela vai decidir e vou esperar a continuação.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carolina, obrigada!
      Sim, concordo com você.
      Ok, aguarde!

      Beijos ❤

      Excluir
  11. Olá... não sou uma boa contista, mas gostei muuto do que vc nos trouxe aqui.... Selma é uma mulher de fibra que merecia uma segunda chance, e muitas vezes me identifico com ela.... como a Carol, tbm fiquei muito curiosa, porque quando o assunto é amor e relacionamento, tudo pode acontecer, tudo mesmo.]beijos e obrigada pelo presente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabi,
      Fico feliz que tenha gostado!
      Pois é, tudo pode acontecer. Aguarde!!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  12. Essa Selma é muito azarada, credo!! Tem algo errado com suas escolhas ou com ela própria..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vera,
      Será? Talvez ela só precise buscar essa felicidade dentro dela.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  13. Cidalia, tudo bem? Nunca mais tinha lido um conto, acredita? Gostei desse. Você vai mostrar mais da história?

    beijo

    www.leitorasinquietas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Krisna, tudo bem!
      Que bom, fico muito feliz!!
      Aguarde!

      Obrigada, beijos. ❤

      Excluir
  14. Acredito que quando se ama de verdade e acha alguém que nos corresponda vale apena tentar. Mas lembrando que o tempo passa e com ele vem a escolha! Um beijo Cidália!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tânia,
      Pois é, se o amor for verdadeiro merece uma segunda chance!

      Obrigada, beijos! ❤

      Excluir
  15. Você é muito boa nisso Cidália, como eu gosto de vir aqui e ler esses contos maravilhosos. Acho que a felicidade esta dentro de cada um de nós e não podemos buscar a felicidade no outro.
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Line, obrigada!
      Seu elogio me deixa muito feliz!
      Sim, com certeza, você tem razão.

      Beijos ❤

      Excluir
  16. Oi! Estou encantada com esse conto e que aflição! Será que a Selma nunca vai ser feliz no amor ? Tô curiosíssima ! Posta o final ,por favor ! Beijos
    Umparadoxoliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anne,
      Oba, que legal!! Será??
      Aguarde...

      Obrigada, beijos!


      Excluir
  17. Seus contos são ótimos, Cidália! <3
    Esse, especialmente, retrata de uma forma incrível a realidade e os conflitos que temos durante a nossa vida.
    Quero saber qual foi a decisão da Selma, hein.
    Beijos!

    Me chama de Bella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Isabella!
      Fico imensamente feliz em saber que você gostou.
      Tá bom, aguarde!

      Beijos ❤

      Excluir
  18. Acho que amor sempre merece uma chance, desde que não seja preciso a pessoa se anular ou se colocar em perigo para tal ato.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  19. Oie!!!
    Que legal esse conto menina... está muito lindo!
    O amor é amor e acredito que sempre temos que dar uma chance quando ele é verdadeiro.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Mayara!
      Que bom que você gostou!! Com certeza!

      Obrigada, beijos.


      Excluir
  20. OOi!
    Que conto lindooo, acho que é o primeiro seu que leio. Amei!!
    "Então melhor é ficar descalça. Deixar livre o coração, enquanto vive..."
    Parabéns!!
    Já vou aqui ler os outros! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catrine!
      Muito obrigada!
      Seu comentário me deixou muito feliz!

      Obrigada, beijos! ❤

      Excluir
  21. Oi, Cidália!
    Não sou muito fã de contos, leio raramente o gênero, mas achei premissa desse conto bastante interessante. Gosto de trama que trazem situações reais, mas narradas de maneira leve e prazerosa. :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rafaelle!
      Obrigada, que bom que você gostou!

      Obrigada, beijos. ❤

      Excluir
  22. Oie,

    Não ouvi falar sobre o autor ou essa obra. Sua resenha traduziu exatamente as características de um conto: rápido e conciso. A história de Selma é bem forte e o que ela viveu de fato traduz a guerreira que ela é. Eu fiquei interessada por sua resenha, e pelas partes que destacou. Principalmente com o fato de ela não terminar os estudos, trabalhar.
    Ótima resenha.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie,
      Parece uma resenha, porque, tomei a iniciativa de escrever histórias curtas para incentivar a leitura.
      Mas que bom que você gostou!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  23. Gostei do conto, parece um pouco com vidas que conheço, e algumas coisas que vivi, mas mesmo assim, gostei de ler esse conto, esperando para ver mais contos.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Viviana!
      Olha só, que bom!!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  24. Oi. Sou fã de contos, sempre estou lendo alguns entre as minhas leituras, semre procuro um ou outro na Amazon para ler. Esse conto é belíssima. Adorei!! E vou adorar ler os próximos que virão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Daniela, que bom saber que você gostou!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  25. Claro que ela merece ♥
    Seus contos são incríveis, ansiosa para o próximo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Adorei o conto Ci, gosto muito da maneira que você escreve as histórias, faz a gente ficar com gostinho de quero mais. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Dani!
      Oba, que bom que vc gostou!

      Beijos.

      Excluir
  27. Sim!!! Ela merece ser feliz no amor!

    História linda e sofrida. Aguardando a continuação!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Oi Cidália,
    Os relacionamentos são sempre complicados né. Não é para todo mundo que tudo dá certo assim de cara e vira um conto de fadas. Mas o diálogo e a compreensão sempre são caminhos que podem nos levar a lugares muito especiais. Vamos aguardar para ver a continuação dessa história.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Concordo com você, o entendimento entre duas pessoas nem sempre é fácil!
      A continuidade já se encontra no blog.

      Muito obrigada, beijos.

      Excluir