domingo, 16 de outubro de 2016

A Casa ao Lado (Como tudo começou)


Antes de se envolver com o mundo das drogas, Roberto era um jovem estudioso, bom filho, responsável e trabalhador. Deixou tudo isso para trás quando começou a sair com as pessoas erradas. Tornou-se rebelde, desobediente; começou a faltar na escola e no trabalho. Cometeu alguns furtos, foi preso e só causou desgostos à família. Perdeu o emprego e a dignidade. Apesar de tudo, seus pais jamais o abandonaram. Ele era o filho caçula, muito amado por todos. Sempre davam um jeitinho de justificar seus erros, de perdoá-lo.

O namoro com Eloísa poderia ter sido diferente se ambos não tivessem se metido naquela vida promíscua. Uma vida de drogas, bebidas e luxúria. O sentimento que os unia era uma paixão arrebatadora. Um tornou-se dependente do outro e mais ainda das drogas. Eloísa mantinha seu namoro escondido dos pais. Cada vez que saía de casa, dizia que ia se encontrar com os amigos. Sabia que eles não aprovariam aquele romance. Quanto à família do Roberto, também, ignorava o namoro dos dois.

Entre os inimigos de Roberto havia o Elias, que estava apaixonado por Eloísa. Era um traficante que fazia ponto no centro a cidade. Eloísa nunca dera atenção a ele, só tinha olhos para o Roberto. O fato da moça ignorá-lo só fez aumentar o ciúme do Elias. Cada vez que ele via o casal, sentia o ódio crescendo dentro do peito. Queria Eloísa a todo custo. Se Roberto saísse do seu caminho, ela aceitaria seu amor.

Os maus pensamentos foram se infiltrando na mente do rapaz. Pagaria alguém para dar um sumiço no rival. Seria fácil encontrar alguém para fazer o serviço sujo. Daria um tempo à Eloísa e depois a cercaria de todas as maneiras. Tinha certeza de que ela se interessaria por ele, afinal, era um bom partido. Ele era um traficante, não um assassino, porém o ciúme e a inveja estavam corroendo sua alma. Sentimentos ruins, antes nunca sentidos tinham brotado em seu peito.

Roberto começou a frequentar uma casa de jogos clandestinos no bairro onde os pais da Eloísa moravam, pouco tempo depois dela ser levada para a Clínica de Recuperação.
Numa dessas idas à casa de jogos, que era ao lado da casa da dona Lúcia, Roberto foi seguido por Elias.

Ao descobrir o que funcionava naquela casa, o traficante deu um jeito de se apresentar aos donos, marcando um encontro por telefone. Não foi difícil conseguir o número; naquele vilarejo as pessoas eram ingênuas. Bastava ser simpático e inventar uma pequena mentira.

Foi dessa forma que Elias, usando um nome falso, conheceu os donos daquela casa, num clube no centro da cidade. Com sua lábia, induziu o casal a "repassar" sua mercadoria. A porcentagem oferecida por ele foi tão significativa que o casal não hesitou.

Começou, naquele dia, o acordo entre Luiz, Célia e Elias, vulgo José. Nas festas que rolavam toda noite, o casal distribuía a mercadoria, aumentando assim sua renda. Os frequentadores, jovens da classe média, já estavam viciados muito antes de chegarem ali. Um amigo levava outro e a turma foi crescendo.

Célia e Luiz localizaram os amigos da época do colégio. Eles conheciam àqueles que se deixavam levar pelos outros, que tinham a mente fraca. Os jogos faziam parte do entretenimento. As crianças ficavam na sala até um certo horário, quando festejavam o aniversário de uma delas ou de um dos visitantes. Em seguida eram levados para o quarto, onde dormiam profundamente, após a ingestão de calmantes.

Quando a polícia apareceu pela primeira vez, por causa da denúncia feita pela dona Gertrudes, viu somente os jovens bebendo e dançando alegremente, como em todas as festas. Não notou nada de anormal e pediu que desligassem o som que estava incomodando os vizinhos. O casal atendeu o pedido e deu a festa por encerrada naquela noite. Era preciso manter as aparências para não levantar suspeitas.

Roberto era um dos convidados, estava ali quase todas as noites. Fazia algum tempo que não via a namorada. Ela tinha desaparecido sem dar notícias. Eloísa não chegara a dar o endereço a ele, sabia que seus pais não aprovariam o namoro. Preferia se encontrar com ele em outros lugares.

Mal sabia o Roberto, que a mãe da moça sabia da sua existência. Que ela tinha seu endereço e que guardara a carta com uma foto do rapaz. Sim, ela abrira a correspondência e além de ler, vira a foto dos dois que estava dentro.

Dona Gertrudes, uma mulher temente a Deus, passou a sentir raiva daquele homem que desencaminhou a sua amada filha. Aquele sentimento se instalara em seu coração de tal maneira que estava consumindo-a por dentro. Ela tinha um fio de esperança e sonhava com a recuperação da moça. Esperava que ela voltasse a ser como antes. Mal sabia essa mãe que a filha ainda escondia alguns segredos. Um deles era que havia emprestado dinheiro de um dos moradores da vizinhança.

Aquele bairro que era tão sossegado antes da chegada dos vizinhos da dona Lúcia, passou a ser manchete nos noticiários. Pessoas simples que levavam uma vida normal passaram a ser destaques nas notícias. Seu Joaquim continuava aguardando o término da investigação. A opinião dos vizinhos estava dividida. Alguns acreditavam na sua inocência e outros tinham lá as suas dúvidas.


Quem matou o jovem Roberto? Seu Joaquim, dona Gertrudes, o Elias ou nenhum deles?


Para facilitar o acompanhamento da trama,
 
Segue os links...

http://contosdacabana.blogspot.com.br/2016/07/a-casa-ao-lado.html
http://contosdacabana.blogspot.com.br/2016/08/a-casa-ao-lado-ii.html

http://contosdacabana.blogspot.com.br/2016/09/a-casa-ao-lado-lll.html

http://contosdacabana.blogspot.com.br/2016/09/a-casa-ao-lado-lv-uma-nova-suspeita.html

http://contosdacabana.blogspot.com.br/2016/10/a-casa-ao-lado-investigacao-continua.html


Um abraço a todos! Obrigada pela visita!!

Cidália

46 comentários:

  1. Agora a autora deu um nó nas nossas idéias, apresentando mais um suspeito!! O jeito é esperar o desenrolar da história. Uma bela e intrincada história!! Adoro suspense.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vem mais por aí, Vera, aguarde!

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  2. Senti uma semelhança com ''Faroeste Caboclo''. Achei bem legal. Seria ótimo de usar para interação em palestras, sabe?

    www.cantaremverso.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só, que beleza! Eu não tinha pensado nisso.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  3. Ai aia ai vamos ver onde tudo isso vai dá.
    Ansiosa pela continuação...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muito mais ainda, Nathy, aguarde!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  4. Quanto suspense! Chega dar um nó na cabeça! rsrsrs Adorando acompanhar os posts! Parabéns e sucesso!
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, fico feliz em saber que está gostando!

      Obrigada, Sophia, beijos.

      Excluir
  5. Acho incrível como estas pessoas que se dizem religiosas se deixam levar por sentimentos tão mesquinhos. O Post veio com mais mistérios e eu continuo gostando de acompanhar.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez seja apenas um sentimento momentâneo da d. Gertrudes, quem sabe?
      Oba, aguarde, que tem muito mais!!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  6. Oi, Cidália. Tudo bem?
    Meu Deus, mais um suspeito, que coisa. Olha pensando em tudo o que já foi relatado , a meu ver o Elias tem algum envolvimento com o assassinato. A história aqui contada desse "triângulo amoroso" e as possíveis intenções do Elias para matar Roberto são comprometedoras. Eu acho que pode até ser que não tenha sido ele o assassino, mas acredito que ele pode ser o mandante do crime. E o assassino deve conhecer muito bem a redondeza, pois foi logo deixar a arma do crime na geladeira do Joaquim. Isso se não for alguém muito próprio do Joaquim, algum vizinho. Também não acredito que seja a Gertrudes, embora podemos nos enganar com as pessoas. Ela parece ser muito religiosa para chegar a tamanha crueldade. Pode ter raiva, mas não acredito que seria uma assassina. Nossa, pelo jeito ainda teremos muitas surpresas com essa história, mas eu estou adorando. Estou ansioso para ler o próximo capítulo.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leandro, tudo bem!
      Fico muito contente sabendo que esta história está agradando-o!
      Pois é, muitas vezes as aparências enganam! D. Gertrudes pode ter pensado em vingança num momento de fúria. Vem muito mais por aí!!
      E eu estou amando seus comentários, obrigada!
      Abraços.

      Excluir
  7. Esse suspense está cada vez mais emocionante ,Roberto tinha muitos inimigos mais quem o matou sabia que seu Joaquim estava ausente.pra esconder a arma na geladeira ,melhor esperar a próxima história ,to gostando demais adoro suspense .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Cleuza,
      Gosto muito das suas opiniões, obrigada!

      Beijos.

      Excluir
  8. Me deixa ansiosa tanto suspense! Kkk
    www.kellyzarate.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kelly, e vem mais por aí, aguarde!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  9. Ai ai ai, que suspense! Quero ver o desenrolar dessa história, adoro thrillers assim!!!

    ResponderExcluir
  10. Achei um pouco confuso no começo mas depois consegui me entender melhor no conto. Gostei do suspense e fiquei curiosa para saber quem é o assassino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Beatriz, deve ser porque o conto está em capítulos.
      Oba, que legal!!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  11. To curiosa para descobrir quem é o assassino, a história tem um suspense que nos incentiva a ler mais é mais até chegar ao fim!! Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alessandra, que bom que você está gostando!!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  12. Adorei o texto, curiosa pela continuacao, adoro quando tem um suspense no meio. Parabens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, que bom! Isso me deixa feliz.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  13. Eu adorei a história e achei super interessante, amei a escrita e espero.poder ler vários textos assim.♥
    Art of life and books.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentário me motiva a continuar escrevendo, obrigada.

      Beijo!

      Excluir
  14. Estou confusa!! Confesso que não sei quem matou o Roberto. Aguardando o próximo capítulo!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Quanto suspense!!!!
    Ansiosa pelos próximos capítulos!
    Seus contos são ótimos! ♡
    Beijos
    Lilica

    ResponderExcluir
  16. Cidália como sempre arrasando nos seu cantos.

    ResponderExcluir
  17. Caramba, quanto suspense!! Vou ler a história, adorei!
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Letícia, que bom que você gostou!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  18. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
    é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
    Ficarei radiante,mas se desejar seguir, saiba que sempre retribuo seguido
    também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
    Sou António Batalha.
    A Verdade Em Poesia.

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Agora fiquei totalmente confusa hahaha Achava que já sabia quem tinha matado mas agora a história mudou e não sei o que pensar. O jeito mesmo é esperar o próximo capítulo hahaha Parabéns!
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carolina! Hahahaha!!
      Aguarde, vem mais por aí...

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  20. Adorei a escrita!
    Nao acompanhei os outros textos, ams vou voltar
    Fiquei curiosa para saber o que virá por aí!
    Vou acompanhar :)
    Bjks mil

    www.maeliteratura.com

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?

    Suspense não é meu gênero favorito, mas seu texto é enxuto e rápido, o que me deixa mais satisfeita. Acho que já li outros contos seus e lembro de achá-los muito bem construídos :)
    Aposto que não foi a D. Gertrudes. Se ela é temente a Deus, do modo como imagino, não faria isso. Mas, né? Vai saber. Hahahaha. Muito bom, parabéns!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem!
      Muito obrigada pelo comentário. Sua opinião é importante para mim!
      Né? Quem sabe?? Vem mais por aí...

      Beijos.

      Excluir
  22. bom saber como as coisas começaram, mais agora fiquei perdida na historia, acho foi a D. Gertrudes, chutando por ser a pessoa menos provável rs. Super beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luma, será?
      Aguarde os próximos capítulos, rsrsrsrs!

      Obrigada, beijos.

      Excluir