domingo, 24 de janeiro de 2016

A loira e o cowboy



Desde pequena Alice sempre foi apaixonada por rodeio e pelos peões. Gostava de acompanhar o pai nas festas tradicionais e ficava encantada com as atrações, principalmente, quando os peões entravam na arena.
Toda criança tem sonhos e o sonho da Alice era casar com um peão de rodeio. Ser professora era o segundo sonho. A sua brincadeira favorita era brincar de escolinha e a diversão que mais apreciava era a festa anual da cidade.
No sexto ano do ensino fundamental conheceu Sérgio. Ele morava numa fazenda, onde seu pai era o administrador. Gostava de cuidar dos cavalos e sonhava em ser peão. Imaginava-se sendo uma das atrações num rodeio.
Os dois tornaram-se amigos inseparáveis. Não se desgrudavam na escola, sentavam-se um ao lado do outro. O assunto preferido deles era sobre cavalos. Tinham muito em comum, gostavam das mesmas coisas.
Aos quatorze anos começaram a namorar. As famílias concordaram, desde que os dois não se descuidassem dos estudos.
Os finais de semana eram passados na fazenda. Alice ajudava Sérgio a cuidar dos cavalos. Ela aprendeu a montar. Com seus belos cabelos loiros, esvoaçantes ao vento, Alice transformou-se numa perfeita amazona. Quando estava cavalgando, deixava-se levar, sentindo o vento no rosto, enquanto sonhava com o futuro.
Anos de felicidade compartilhados um com o outro. Formavam um belo casal. Quando estavam juntos, o tempo parava. Aquela vida simples no campo entre os cavalos e as músicas sertanejas, era tudo de bom.
No primeiro ano do ensino médio, o pai de Sérgio foi dispensado do trabalho e mudou-se com a família para Barretos. Pensou que lá o filho teria a chance de realizar o sonho de se tornar um peão.
Alice ficou inconformada por algum tempo. Prometeram que manteriam contato, se corresponderiam regularmente.
O tempo passou. Alice formou-se professora e Sérgio se tornou peão. A promessa que haviam feito ficou para trás. Na correria diária perderam o contato. A distância acabou separando-os.
Sérgio participava de rodeios na sua cidade e onde houvesse torneios. Ele era um rapaz bonito e fazia sucesso com as moças.
Alice teve alguns namorados, sem nunca esquecer seu primeiro amor. Sérgio por sua vez, via Alice em cada namorada que arrumava. Sentia falta dela, queria que ela estivesse ao seu lado para festejarem juntos suas vitórias.
Dez anos se passaram e Alice foi com algumas amigas ao rodeio de Barretos. Na primeira noite, quando ouviu o nome de Sérgio, seu coração disparou. Queria que ele soubesse que ela estava ali ansiosa por um beijo.
Suas amigas questionaram, e se ele estivesse casado? Ou noivo, ou mesmo namorando? Alice nem sequer pensara nessas probabilidades, mas, intimamente, torcia para que ele estivesse solteiro assim como ela.
Quando o rodeio terminou, o acaso deu um jeito para que os dois se encontrassem. Assim que Sérgio terminou a apresentação foi comer um lanche numa barraquinha que havia no recinto. Coincidentemente, Alice e as amigas estavam lanchando na mesma barraca.
Os olhos dos dois se encontraram num longo e carinhoso olhar, assim que ele a viu. Correram um para os braços do outro. Alice esqueceu as amigas, só tinha olhos para o seu grande e único amor. As amigas viram que estavam sobrando e saíram de cena.
Os dois tinham muitos assuntos para colocarem em dia. Talvez não houvesse necessidade de palavras. Bastava a troca de olhares e os abraços apaixonados.
Passaram a noite juntos, trocando juras de amor ao som de uma música sertaneja, a música preferida do casal. Fizeram planos para o casamento que seria em estilo country. Alice pediria remoção no trabalho e iria morar em Barretos. Convenceria seus pais a se mudarem para Barretos. Queria a família unida.
Aquele final de semana marcou o reencontro deles e ficaria eternamente em suas memórias. Tinham a certeza de que não se perderiam mais de vista. O amor que os unira, um dia, ainda era o mesmo e as chamas da paixão se reacenderam no momento exato em que seus olhares se cruzaram novamente. 
As amigas da Alice a surpreenderam com uma canção criada por elas, que dizia assim:


Um amor juvenil,
Na infância começou,
Entre a loira e o cowboy,
E o tempo conservou.
A paixão pelo rodeio
Foi o que os uniu.
O sonho de ser peão
E se apresentar pelo Brasil
Deixou a loira empolgada,
Numa tarde primaveril.
Nem mesmo a distância,
Conseguiu separá-los,
Quando se reencontraram,
A chama entre eles reacendeu,
Assim que se olharam.
O cheiro da relva molhada,
Cabelos soltos ao vento,
Num galope lado a lado,
Lá vai o cowboy e a loira,
Um casal apaixonado.

40 comentários:

  1. Apaixonante história adorei e gostei muito da letra da música parabéns zw vê CRC.

    ResponderExcluir
  2. Uma história simples, mas escrita de maneira a prender o leitor. Gostei.

    ResponderExcluir
  3. Um pequeno conto que daria um livro, mostrando os detalhes desse amor que o tempo e a distância não conseguiram apagar. Com certeza há muito sofrimento e lágrimas nas entrelinhas dessa estória, quando o amor é verdadeiro nada separa. Parabéns pelo texto.

    www.atraentemente.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você me deu uma boa ideia, vou pensar na continuidade!!
      Obrigada, abraços.

      Excluir
  4. Q conto lindo, um dos melhores que vi aqui. Amei!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cidália, como sempre escrevendo histórias que a maioria das mulheres gostam de ler, parabénssss....Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sandra, que bom que gostou!
      Obrigada, beijinhos.

      Excluir
  6. Que história linda 😍
    Amo histórias assim de romance e com um final feliz !
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Edimara, vou escrever mais histórias assim!

      Beijinhos ❤

      Excluir
  7. Sempre arrasando na história Cidália. Amei o conto!! E a letra da música é linda!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viu, Raquel, até arrisquei na letra de uma música.
      Obrigada, beijinhos!

      Excluir
  8. Gostei muito do conto.
    O destino sempre dá uma ajudinha para o amor verdadeiro.
    Adorei a música.


    Beijinhos,
    Aline Magalhães
    Alineland

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Aline!
      Verdade!!
      Você viu, eu estava inspirada.
      Beijinhos ❤

      Excluir
  9. Aí como a vida é né. Mas como dizem o que tiver que ser será,parabéns fiquei super presa aqui lendo a estória.
    Beijúh
    comqb.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acredito nessa frase, o que tiver que ser, será!
      Muito obrigada, beijinhos.

      Excluir
  10. Adorei de mais. Adoro os contos que posta pro aqui todos são incríveis e fascinantes . Beijos

    ResponderExcluir
  11. Que historia linda! A gente vai imaginado cada etapa que vc vai contanto. Super beijo

    ResponderExcluir
  12. Que lindo conto, gostei muito da história tão bem contada sem se estender demais. Foi uma ótima leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Marijleite! Que bom que você gostou!!

      Beijos.

      Excluir
  13. Nossa, que interessante, bastante romântica a história do casal.
    Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou!

      Obrigada, Lilian! Beijos.

      Excluir
  14. Oiii, tudo bem?
    Garota parabéns pelo texto, achei bastante romântico e encantador <3
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem!
      Fico feliz que tenha gostado.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  15. Olá, parabéns pelo texto, continue escrevendo, já li muitos livros sobre peões de rodeios e ele me lembrou muito alguns como "uma longa jornada" e "meu primeiro e único amor", conhece?
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gabriela, obrigada!
      Eu li "uma longa jornada", o outro não.

      Beijos!

      Excluir
  16. Oii, muito lindo o conto, daria um romance incrível!
    Parabéns! E boa sorte na continuação, acredito mesmo que vc deveria fazer ;), bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mercia, obrigada pela ideia!

      Que bom que você gostou!

      Beijos.

      Excluir
  17. Já ouviu a música ''A Saga de um Vaqueiro''? Parece que essa história foi inspirada nela. Muito legal :D Se fizer uma versão estendida, meio tipo um conto, acho que dá certo hein.

    www.cantaremverso.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Grazi, não ouvi ainda, fiquei curiosa!

      Obrigada pela sugestão, beijos!

      Excluir
  18. Oie!!
    Que lindo esse conto... meus sinceros parabens!
    Romântico e encantador... perfeito

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Mayara!
      Obrigada, fico feliz que tenha gostado!

      Beijos.

      Excluir
  19. Quero continuar da história!! Gostei bastante.

    ResponderExcluir