domingo, 21 de agosto de 2016

A casa ao lado II



Na noite seguinte, talvez por vingança, a festa na casa ao lado, começou mais cedo e depois da meia noite o barulho se intensificou. Dessa vez não se ouviu barulho de crianças e nem os parabéns a você.
Eram gritos insanos, música eletrônica e batidas nas paredes. E as crianças onde estavam? Dona Lúcia pensou naquelas crianças. Estariam dormindo? Só se tivessem dopadas! Ela e seu esposo não pensaram muito, dessa vez, ligaram para a polícia e relataram o que estava acontecendo.
Nisso, ouviram um estrondo, parecia barulho de tiro. Dona Lúcia e o marido ficaram paralisados. E lembraram que a polícia estava para chegar e com certeza descobririam o que havia acontecido.
Assim como dona Lúcia, os outros vizinhos também ficaram emudecidos. Será que alguém fora ferido naquela casa maluca?
O silêncio tomou conta do bairro, ninguém se atreveu a sequer olhar pela janela. Se tinha alguém armado naquela casa barulhenta, o que seria capaz de fazer com qualquer pessoa?
Mil pensamentos passaram pela cabeça da dona Lúcia e de seu marido. O tiro poderia ter saído sem querer ou a pessoa quis cometer um crime?
Quando o tiro soou, a sala estava na penumbra. As crianças dormiam no sótão com a porta fechada. O casal anfitrião distribuía droga e bebidas em troca de dinheiro. Alguns jovens dançavam alucinados e outros se agarravam pelos cantos.
De repente, um dos convidados estava caído no chão da sala. As outras pessoas espantadas, olhavam uns para os outros, procurando ver em qual mão a arma se encontrava.
Pouco tempo depois, a campainha tocou e a polícia invadiu a casa, assim que a porta foi aberta. Todos continuaram na mesma posição, como se fossem estátuas. Os policiais verificaram que o corpo do jovem estirado no tapete, já não respirava mais.
No mesmo instante em que a polícia chegou, dona Lúcia viu, através da vidraça, um vulto que se esgueirou pelos fundos do sobrado e desapareceu entre a neblina da madrugada. Parecia alguém que ela conhecia bem, um de seus vizinhos que morava em frente a sua casa.
- Querido, você viu aquele vulto? Parece o seu Joaquim. Por que será que ele saiu se esgueirando de trás daquela casa? Ele era um dos convidados? Ele saiu pela porta dos fundos, enquanto a polícia tocava a campainha na porta da frente.
- Querida, esqueça o que você viu. É melhor não nos envolvermos nessa história. Vamos para o quarto.
Lá no sobrado, os policiais começaram a interrogar as pessoas. Os donos da casa estavam atônitos. Os convidados não sabiam explicar o que tinha acontecido. Estavam “entretidos” e só se deram conta do ocorrido quando ouviram o tiro.
Várias hipóteses foram levantadas pelos convidados:
- Pode ter entrado um ladrão na casa e pensando que foi descoberto, atirou e fugiu.
- Nenhum de nós estava armado e nem tínhamos motivo para matar alguém – disse o dono da casa. Não temos armas.
- É possível que um de nós tenha um inimigo e ele veio se vingar? Mas, nesse caso, ele atirou na pessoa certa ou atirou a esmo? Como enxergou se a sala estava com pouca luz? – questionou a dona da casa.
Todos foram revistados e ao encontrar drogas a polícia levou o casal para a delegacia. Os demais foram convidados a prestar depoimento no dia seguinte. Uma assistente social foi chamada para cuidar das crianças. Uma ambulância foi chamada para levar o corpo.
A investigação continuaria até o culpado pelo crime ser identificado. Como ninguém viu de onde partiu o tiro? Estariam eles tão chapados e distraídos que nem perceberam o que estava acontecendo a sua volta?
Dona Lúcia foi dormir preocupada com a cena que vira pela janela. A imagem de seu Joaquim fugindo não saía da sua cabeça. Qual o motivo que o levou a fazer aquilo? E ela, conseguiria levar a vida adiante guardando aquele segredo? Mas, se denunciasse o vizinho, teria como provar o que vira?
No dia seguinte, os moradores amanheceram agitados, conversando sobre o assunto. Na casa ao lado, o silêncio era perturbador. Dona Lúcia viu seu Joaquim varrendo a calçada, como se nada tivesse acontecido. Ela achou o comportamento dele muito estranho.
Enquanto os demais conversavam em frente ao portão de suas casas, seu Joaquim parecia alheio a tudo. Será que ela tivera um pesadelo? O vulto que ela vira de madrugada, se esquivando pelos fundos da casa, era dele, ela tinha certeza.
O jeito era esperar os acontecimentos se desenrolarem. Quem sabe, seu Joaquim, deixara algum rastro? Pensando assim, dona Lúcia resolveu seguir o conselho do marido. Era melhor esperar o desenrolar dos fatos.
Afinal, ela não tinha prova nenhuma para acusar ninguém! Só tinha a certeza que dali em diante ficaria atenta aos movimentos do seu Joaquim.


Depois desse episódio no seu bairro. a vida de dona Lúcia seguirá seu curso normal?
Ou será que ela dará uma de detetive e começará a investigar a vida do seu Joaquim?

Deixe sua opinião e leia também, A CASA AO LADO, que foi publicado anteriormente.

 http://contosdacabana.blogspot.com.br/2016/07/a-casa-ao-lado.html

Obrigada pela visita! Volte sempre, ficarei feliz em responder seu comentário.
Beijos,
Cidália.

34 comentários:

  1. Acho que dona Lúcia vai continuar investigando até descobrir o porquê seu Joaquim estava fugindo . Dona Lúcia me lembrou miss Jane Marple.mais uma vez parabéns adorei o conto .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não deve não teme, né? Se ele fugiu é pq deve estar com medo de ser descoberto!!
      Obrigada, Cleuza, beijos!

      Excluir
  2. Ah ah! Um conto seriado. Está ficando interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Vera, aguarde o próximo capítulo, rsrsrrs!

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  3. Estou amando seus contos, amo ler e estou lendo todos. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, fico feliz em saber que você gosta dos meus contos!

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  4. Cidália, que legal. Pelo jeito termos uma história que terá novos capítulos. A Casa ao lado foi um dos primeiros texto que li em seu blog e, à época, eu o adorei. Fiquei muito feliz pela iniciativa de continuar escrevendo a história. Lembro que o primeiro texto escrito acabava em meio a um mistério e me deixou muito curioso para ler mais. Agora, estou morrendo de ansiedade para ler os próximos capítulos. Pelo tom das perguntas finais, teremos novas histórias. Espero que não demore para escrever os próximos texto. Como o primeiro, adorei este texto também. Parabéns.

    Obs: que os próximos capítulos venham logo :)

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Leandro!! Estou gostando muito da participação e incentivo que estou recebendo nos comentários. Estou com a cabeça cheia de ideias, obrigada!
      Ok, valeu!

      Abraço!

      Excluir
  5. Hummm dificilmente alguém guarda um segredo assim, nesse caso acho que é ainda pior, pois ela ainda precisa provar pró marido que realmente viu o vizinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Evandro, ainda mais mulher, né? A dona Lúcia deve estar doida p desvendar esse segredo.

      Obrigada, abraço!

      Excluir
  6. Mistério e suspenso total na história!! Rsrsrsrsrs... Acho que a dona Lúcia irá vestigar mais detalhado o caso, pois ela precisa se defender.
    Adorei a história!!
    Estou curiosa para continuação.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai sim, Raquel!
      Ela precisa provar que viu o vizinho saindo da casa ao lado!!
      Que bom que você gostou, obrigada!
      beijo.

      Excluir
  7. Que mistério ein! Eu acredito que Dona Lúcia vai investigar até mesmo para que não fique com a consciência pesada né, porque se ela viu o vizinho saindo de fininho e não contou a polícia pode estar indiretamente ocultando a autoria do crime.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai sim, Dri! Concordo com vc, a consciência dela está pesada.
      Obrigada, bjs!

      Excluir
  8. Cidália é um conto cheio de mistério, acho que a dona Lúcia vai investigar a vida do seu Joaquim, Cidália obrigada pela sua visita bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai sim, Lucimar, ela precisa provar que ele é o culpado.
      Obrigada a vc também, bjs!

      Excluir
  9. São lindos seus contos e cheio de mistério.Parabéns pelo seu trabalho. <3

    ResponderExcluir
  10. Que conto top, Acho D.Lúcia vai continuar investigando até descobrir o porquê estava fugindo seu Joaquim, hehehehe todo mundo ficaria meio de orelha em pé! Parabéns Beijos #Luma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela vai sim continuar investigando, Luma.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  11. Não tem como não dizer mais uma vez você arrasa Ci. Adorei o conto. Beijos

    ResponderExcluir
  12. Adorei esse conto e estou ansiosa para os próximos capítulos. Se a Dona Lúcia for como eu, não vai sossegar até descobrir a verdade! Rs. Beijos.

    Me chama de Bella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, que bom que vc gostou! Ela vai investigar o vizinho sim.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  13. parabéns esta ae mais um conto sensacional adorei ..

    ResponderExcluir
  14. Que legal.. Parabéns vc arrasa, concertaza vou continuar acompanhando. Beijos *-*

    ResponderExcluir
  15. A curiosidade é algo inerente ao ser humano ...
    Confesso que se eu fosse a dona Lúcia também iria ficar cismada ...
    Bom, sei que fiquei curiosa pelo desenrolar do conto ...

    Bjos
    Minda ❤ 😍

    ResponderExcluir
  16. Admiro pessoas que tem facilidade em escrever.. e ainda contando histórias.. Parabéns! :)

    ResponderExcluir
  17. Adorei a história. Vou ler o próximo capítulo agora kkkk tô atrasada....

    ResponderExcluir