sexta-feira, 11 de março de 2016

Um grito na madrugada



Numa rua tranquila de uma certa cidade do interior, onde moravam pessoas conhecidas e amigas, um fato curioso aconteceu.
Ali, os habitantes dormiam cedo porque acordavam de madrugada para pegar no batente.
Na casa do senhor Paulo, só a esposa Maricota estava acordada naquela madrugada de sexta-feira. Ela havia perdido o sono e se levantou para tomar um copo de leite morno, quando ouviu um grito que mais parecia um uivo. Sentiu as pernas bambas!
De onde tinha vindo aquele grito? Será que mais alguém ouvira? E seu esposo não deu sinal de que tinha ouvido  alguma coisa. Ela foi até o quarto e viu que ele continuava dormindo, roncando como um animal.
Quando ela se preparou para voltar a deitar ouviu novamente o grito. Agora parecia um pedido de socorro. O que estava acontecendo? Naquela rua, nunca acontecia nada de diferente. A rotina era a mesma desde que ela morava ali, há trinta anos.
Pensou em acordar o marido. Sozinha, não conseguia pensar em nenhuma atitude. Não sabia se ligava para a polícia ou para algum vizinho.
Será que era um pesadelo? Não ouvia mais nada a não ser aquele grito que se repetia a cada dez minutos, mais ou menos. Será que mais alguém estava acordado ouvindo, também?
Lá pelas tantas, acordou o marido:
-Paulo, acorda homem! Escuta esse grito que está estourando meus tímpanos!
-Venha dormir mulher! Você deve estar sonhando.
-Acho que alguém está pedindo socorro. Já faz uma meia hora que ouço um grito a cada dez minutos.
-O que você quer que eu faça?
-Escute, se gritarem mais uma vez vamos telefonar para alguém.
-Acordar os outros a esta hora?
-Vamos ligar para a polícia.
Nisso, os dois ouviram um grito ensurdecedor. Seu Paulo deu um pulo da cama. O grito vinha do seu quintal!!
Seu Paulo pegou sua espingarda enferrujada, dona Maricota pegou uma vassoura e os dois foram até a janela dos fundos para ver se conseguiam enxergar alguma coisa.
Olhando pela fresta da janela ficaram com o grito engasgado na garganta! O que viram no quintal não parecia humano. Parecia um lobisomem, como aqueles que viam nos filmes. Mas, como? Lobisomens não existem! Marido e mulher estavam tendo uma alucinação?  Como aquele monstro foi parar ali?
De repente, aquela criatura ficou em silêncio e começou a voltar a sua forma normal! Olhou para os lados e saiu caminhando lentamente em direção à rua.
Dona Maricota e seu Paulo não o reconheceram. No dia seguinte, investigariam a vizinhança para ver se descobririam algo. 
Mal o dia clareou, o casal levantou e foi bater à porta do vizinho.
-Bom dia compadre Antônio, por acaso você e a comadre ouviram algum barulho estranho ontem de madrugada? Perguntou o senhor Paulo.
-Ouvimos sim, só não tivemos coragem de sair para ver o que era. Parecia um lobo, respondeu dona Rita.
-Será que tem algum morador novo nessa rua? Não vimos chegar nenhuma mudança, disse dona Maricota.
-Tem sim, comadre, lembra aquela casa no final da rua que estava vazia? Ontem de manhã, vi um caminhão de mudança parado em frente, comentou seu Antônio.
O mistério estava resolvido. Era muita coincidência eles ouvirem aquele grito bem no dia que chegou morador novo na rua.
Talvez ele estivesse fazendo um passeio noturno quando tudo aconteceu. E então. os dois casais perceberam que era uma sexta-feira e a lua estava cheia! E os gritos foram ouvidos logo após a meia noite de quinta para sexta-feira. Exatamente como na lenda! Mas, como, se lobisomem não existe? A partir daquele dia os dois casais combinaram de ficar atentos. Ainda tinham esperança de que tudo não passasse de alucinação coletiva.





36 comentários:

  1. Que medo ,uma história de dar arrepio

    ResponderExcluir
  2. Adorei fiquei com medo também lindo post
    Beijos,
    http://emagrecendonovoestilodevida.blogspot.com.br/search/label/Carne%20vermelha%20na%20dieta%20pode%3F

    ResponderExcluir
  3. Ui! Partiu pro sobrenatural. Quando criança eu ouvia muitas histórias parecidas. Mas você escreveu de um jeito meio humor, meio terror. Gostei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, lembrei das histórias ouvidas na infância! Obrigada Vera,beijos!

      Excluir
  4. Fiquei com medo! Escritora nos trazendo mais uma bela história de suspense! Amei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto de variar de vez em quando, rsrsrsrs! Obrigada Tânia, beijos!

      Excluir
  5. Aí fica o mistério, nossa,sinceramente acharia melhor achar que foi algo da mente mesmo,gostei muito do seu conto :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela opinião! Muitas vezes a mente prega peças na gente!! Bjos!

      Excluir
  6. Amei o seu conto, adorei o mistério que ficou no final.

    http://gabrielajunqueiraa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, gostei da sua opinião! Bjs.

      Excluir
  7. OLá Cidália! Amo esse tipo de conto, cheio de mistério. Você acredita em lobisomens? Aqui na vizinhança tem uma senhorinha que conta histórias arrepiantes sobre essa e outras lendas folclóricas. Minha mãe, junto de minha avó, também já viveram uma situação parecida. M-I-S-T-É-R-I-O !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ruama, olha só que interessante! Não acredito, mas volta e meia lembro das histórias contadas pelo meus pais. Na minha infância papai e eu inventávamos muitas histórias, não tínhamos livros. Legal saber que sua mãe e sua avó já viveram uma situação como essa! Bjos,

      Excluir
  8. Amo histórias com mistérios, e esse final foi muito bom!

    www.tastyle.com.br

    ResponderExcluir
  9. Bom dia !! Amo conto de mistérios. Adorei o final !!
    Beijos

    www.baudasresenhas.com.br

    ResponderExcluir
  10. Q coincidência meu namorado e eu falamos a repeito disso ontem rsrsrs ele morre de medo. Muito bom!

    ResponderExcluir
  11. Oi Cidália!!
    Confesso que não sou fã de histórias de terror. Mas o que você escreveu gostei muito, adorei o final da história.

    Bjs!!

    http://raquelamandamakeup.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi, tenho um certo temor por histórias de terror, mas na leitura fico menos temorosa, gostei principalmento do mistério que roda em nossa mente até chegarmos ao final da história, parabéns você escreve muito bem. Bjs

    ResponderExcluir
  13. Posso falar que fiquei com medo e ninguém rir ? kkkkkk , adorei muito boa história beijos

    ResponderExcluir
  14. Nussss que medo! Essa estória é de assustar heim. Adoro contos de terror.

    ResponderExcluir
  15. adorei o conto confesso que me deu um pouco de medo mais gostei bastante bju..

    ResponderExcluir
  16. Adorei muito bacana. Vai ter continuação né. Vc leva jeito, este é um tipo de história que daria um livro e eu com certeza leria. Principalmente se envolver um caso de amor de alguém da rua com o novo morador. Acho q ficaria bem legal. Fica a dica 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei da sugestão, obrigada! Vou começar a escrever a sequência. Amei, de verdade.
      Me aguarde, beijo!

      Excluir
  17. No interior sempre você ouve essas lendas, me lembro que minha mãe contava que tinha um terreno baldio perto de casa que sempre tinham pegadas estranhas. kkkkk. Faz parte do imaginário das pessoas. Adorei!

    http://deumtudodicas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, cresci ouvindo essas lendas contadas pelo meu pai. Só que quando eu era criança tinha pesadelo. Agora gosto de relembrá-las.
      Oba, obrigada!
      😘😘

      Excluir
  18. Adoro esse tipo de leitura, da pra fazer uma fogueira com a criançada e tocar o terror hahahahahah a gente adora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho uma sobrinha que adora terror, mas tem crianças que morrem de medo, rsrsrsrs!
      Obrigada
      😘😘

      Excluir