domingo, 17 de dezembro de 2017

Alegria de Natal



                                                 


Na semana que antecede o Natal, me vem à mente a música do Roberto Carlos (E as mesmas emoções sentindo; São tantas já vividas; São momentos que eu não esqueci). São muitas emoções!

Eu estava numa loja de variedades, na manhã de sexta feira, quando fui abordada por duas mulheres.

A mais nova olhou para a outra enquanto me abraçava:

- Mãe, essa é a professora de quem falo sempre.

Retribuindo o abraço ao mesmo tempo que buscava na memória de onde nos conhecíamos, perguntei-lhe:

- Oi, qual é o seu nome?

- Sou a Lurdes, eu e meus irmãos estudamos com você no Ribeirão do Salto. 

Ali, paradas no corredor da loja, trocamos algumas informações que me fizeram retroceder no tempo. Ela me contou que ainda tem uma boneca que ganhou num sorteio que fiz na sala de aula. Uma boneca que ela guarda com muito carinho e ciúme.

Nos despedimos e saí da loja deixando-a na fila do caixa com a mãe.

Entrei no sacolão que estava sendo inaugurado e dali uns minutos vi que a Lurdes e a mãe tinham acabado de entrar.

Fui até elas e conversamos mais um pouco. Trocamos o número de telefone. 

Fiquei de enviar à Lurdes algumas fotos antigas para que ela identificasse os colegas.
Ao chegar em casa olhei o whatsapp e lá estava a foto da boneca que tem mais de trinta anos. Meus olhos ficaram marejados.

 Enviei a foto para dois grupos, um da turma do magistério e o outro de amigas, ex-colegas de trabalho. Quis compartilhar aquele momento especial.

Meu coração encheu-se de sentimentos indescritíveis ao imaginar aquela menina passando a infância, a adolescência e chegando a idade adulta, ao casamento e conservando consigo aquela pequena e simples boneca. 

Uma boneca que representava para ela a lembrança da primeira professora. Nas fotos que eu enviei, ela identificou os colegas e me ajudou a lembrar de fatos que estavam guardados num canto da memória.

Aquela escola da zona rural era distante do ponto de ônibus uns três quilômetros, mais ou menos. Havia três rios, rasinhos, que podíamos atravessá-los arregaçando as pernas das calças compridas. 

Quando chovia era preciso atravessá-los passando sobre um tronco de árvore que era usado como a ponte. Como eu tinha medo, dois alunos seguravam minhas mãos, um de cada lado, e passávamos de lado.

No ano seguinte, abriram uma estrada paralela. Era necessário andar a pé, mas uma boa opção para desviar os rios.

Aquela foi a segunda escola da zona rural na minha trajetória profissional. As lembranças compartilhadas com a ex-aluna, foram a colheita de amoras na beira do rio, na hora do recreio, a merenda (macarrão e arroz à grega), e as dificuldades de aprendizagem de um determinado aluno.

São momentos como esses, a demonstração de carinho, o reencontro feliz, que torna gratificante o trabalho do professor. 

O professor, um profissional desvalorizado, que não mede esforços para atingir seus objetivos durante o ano letivo. Para ele não tem final de semana ou feriado. As aulas precisam ser preparadas com antecedência, os materiais didáticos confeccionados de acordo com o conteúdo desenvolvido. Os relatórios precisam ser redigidos. Etc.etc.etc.

Tudo o que o professor faz, faz por amor e com amor.

Nas fotos antigas, alguns colegas foram reconhecidos pela ex-aluna e as fotos foram encaminhadas para eles através do whatsapp. 








Minha lista de contatos aumentou depois desse reencontro. Um presente antecipado de Natal. Uma grande alegria.

Assim como o presente que recebi, o gesto de carinho representado por uma boneca de crochê, desejo aos leitores amigos e seus familiares, um Feliz Natal!!

OS SINOS DE NATAL
NOS CONVIDAM
A COMUNICAR
A MENSAGEM
DE PAZ E AMOR
QUE ESTÁ
EM NOSSO CORAÇÃO.

Um grande abraço,
Cidália.


36 comentários:

  1. Que nostalgia boa num só post
    Adorei seu blog, parabéns

    ResponderExcluir
  2. Cidália que maravilhoso o seu texto como foi bom esse seu reencontro com a sua ex aluna. Uma vez também aconteceu comigo estava no centro aqui a onde eu moro, encontrei com uma professora que eu estudei, mas no meu caso tive vergonha de falar com ela, fiquei só observando ela. Que bacana as fotos recordar faz bem, Cidália tenha um Feliz Natal bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Lucimar, pelo comentário! Que pena, com certeza ela iria gostar se você tivesse falado com ela!!
      Feliz 2018!

      💋💋

      Excluir
  3. Nessa época eu sempre vejo as fotos antigas e bate uma nostalgia. Lendo esse post voltei completamente no tempo! Lindo!! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Janielle, pelo comentário!!

      💋💋

      Excluir
  4. Eu sou assim sempre vejo minhas fotos antigas ai realmente bate aquela nostalgia amei seu blog beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, que bom!! Obrigada pelo comentário, Paula Beatriz!

      💋💋

      Excluir
  5. Nossa que legal, muita nostalgia para você nessa história eu imagino ainda com fotos deve ser muito boa a sensação, gostei da maneira que você escreve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou da minha escrita!!
      Obrigada, Susan, pelo comentário!

      💋💋

      Excluir
  6. olá , tudo bem ? amo quando tenho esses reencontros e as lembranças nostálgicos .
    chego a viajar para minha cidade natal para reencontar minha infacia. Bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem, Márcia!! Obrigada pelo comentário!

      💋💋

      Excluir
  7. Nossa que lindo , é tão bom fazer um pequeno gesto e a pessoa se sentir tão importante que bom que você teve esse reencontro com a Lurdes amei <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Marcela, pelo comentário!!

      💋💋

      Excluir
  8. Ainn que lindooo, muito bom se sentir especial, seja qual for o tamanho.

    ResponderExcluir
  9. Que lindo texto e que delícia de reencontro! Um Feliz Natal pra você, que ainda surjam ótimas supresas pela frente :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Luíza, pelo comentário!! Amém!
      Feliz 2018!!

      💋💋

      Excluir
  10. Que bela história! Que belo exemplo de perseverança e de amor pela profissão. Cidália fiquei muito emocionada com a sua descrição. Senti-me a percorrer consigo esse riozinho no caminho para a escola rural, e o amor dos seus alunos por você... Imagine, essa bonequinha simples, o impacto que teve na vida de uma menina. Mas esse é apenas um exemplo, uma metáfora material, porque como boa professora com certeza terá plantado esperança e bons princípios na mente e no coração dos seus amigos, e isso, vai ficar com eles para sempre... obrigada pela partilha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!
      Seu comentário me deixou muito feliz, muito obrigada! Que bom que você gostou da minha história!! Obrigada de coração! Feliz 2018!!

      💋💋

      Excluir
  11. Poxa Cidália, que emocionante isso né? Que presentão de Natal ! Reconhecimento, carinho, honra e muito amor. Sim, quando se faz o que ama, mesmo todas as adversidades em relação a profissão, são essas coisas que nos fazem ver o quão valioso é um professor. Parabéns. São os frutos que vc semeou as sementes lá atrás e hoje colhe com louvor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Vany, muito emocionante!! Foi um belo presente; assim como ela guardou a boneca, eu guardarei esse gesto na minha memória para sempre!
      Muito obrigada pelo comentário, beijos!

      Excluir
  12. Que maravilhoso quando somos lembrados por algo especial! Imagino a alegria que deve ter sido para você ser lembrada por uma aluna de tempos atrás!E consigo imaginar o que uma simples boneca deve ter dado um rumo positivo na vida dessa aluna! Adorei seu reencontro e um Feliz Natal para você. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem fale, Beatriz, foi uma alegria imensa!! Muito obrigada pelo comentário! Desejo tudo de bom a você, abraços.

      Excluir
  13. Que lindo texto como é bom recordar os momentos bom que passamos adorei as fotos feliz natal que Jesus te abençoe e esteja sempre presente em sua vida bjs .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Cleuza, pelo comentário!! Amém!

      Beijos!

      Excluir
  14. Olá!
    Deve ser muito gratificante para o professor ser lembrando e que pode mudar o futuro daquelas pequenas crianças.
    Minha mãe é professora e sei muito bem como é a emoção de poder ser reconhecida na rua e lembrada pelos alunos.
    Foi um belo presente de natal para você.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Thalia, foi sim um lindo presente de Natal!!
      Muito obrigada pelo comentário!
      Beijos

      Excluir
  15. é gratificante quando o nosso trabalho recebe reconhecimento e de alguma forma deixamos algo bom para pessoas.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Daniele, é muito gratificante!!
      Obrigada pelo comentário!
      Beijos

      Excluir
  16. Que lindo. Acredito que foi um ótimo presente de Natal que a vida te deu ê ficé muito feliz por você ter feito a diferença na vida de alguém. Feliz Natal 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Laiane, pelo comentário!! Desejo tudo de bom a você!

      Beijos

      Excluir
  17. Seu texto nostálgico é lindo e motivador.Com certeza a nossa melhor lembrança é dos nossos primeiros professores,eu tenho muitas lembranças das minhas que tornaram inesquecível.O professor é o primeiro amor de uma pessoa e muitas vezes essa dedicação de carinho não tem preço que pague.Seus alunos e você como educadora tiveram muita sorte de poder vivenciar e reencontrar novamente essas belíssimas lembranças!Gratificante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Renata, são muitas lembranças!! Muito obrigada pelo comentário!

      Beijos

      Excluir
  18. Essa crônica me comoveu sobremaneira, porque também lecionei na zona rural um ano, meu primeiro trabalho como professorinha.
    O seu jeito de narrar esses momentos nos remetem a emoções e a história da boneca nos transmite sentimentos raros, que ficaram perdidos num passado fugidio...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom saber que você gostou da narrativa, Vera!! Muito obrigada pelo comentário!

      Beijos!

      Excluir