domingo, 6 de agosto de 2017

Vida às avessas IX (ganância)



Dona Josefa tinha pouca leitura, mal sabia assinar seu nome, mas como tinha plena confiança no filho, não se preocupava com os detalhes. Ela não precisou do consentimento dos filhos para vender a propriedade. Sua idade ainda lhe permitia que fosse responsável pelos seus atos.

O dinheiro recebido pela venda da propriedade foi dividido igualmente entre os filhos e a parte que lhe coube, dona Josefa pediu ao Jesuíno que abrisse uma conta no Banco para ela. Depois que as gêmeas se casassem ela pretendia voltar para sua cidade e morar com a Sueli. 

-Sabe, Jesuíno, sei que vai ser difícil a Sueli comprar uma casa com a parte do dinheiro dela. Se eu for morar com ela posso ajudá-la. 

-Não se preocupe com a Sueli, mamãe. Com o dinheiro que ela recebeu poderá dar a entrada numa casinha e vai pagando as prestações.

-Coitada da Sueli, é a única que não tem onde morar. Mora de favor numa escola! Ainda teve que arrumar lugar para guardar as minhas coisas quando desocupou a minha casa.

-Nem era tanta coisa, mamãe. A senhora só pediu que ela guardasse as coisas de valor, o restante mandou que doasse.

Na escola, Sueli e as filhas tiveram que guardar as coisas de dona Josefa no quarto do José Carlos. Ele usava pouco aquele quarto. Só visitava a família nos feriados prolongados.

Ariana seguia a sua rotina, ajudava a mãe, fornecia marmitas e lecionava como leiga. Ainda tinha esperança de reencontrar o Geraldo. Sempre que passava pela praça olhava para o bar do tio dele.

Elizandra começou a namorar com o filho de uma professora, um rapaz bom e trabalhador. Ele era dois anos mais velho que ela. Trabalhava durante o dia como frentista e estudava a noite. Pretendia ser professor de matemática.

Na casa de Jesuíno as coisas começaram a mudar. Iracema e as filhas se afastaram da dona Josefa. Davam-lhe o mínimo de atenção. As três saíam sempre, com a desculpa de comprar alguma peça para os enxovais ou simplesmente para dar uma volta.

Quando dona Josefa perguntava ao filho sobre a reforma do quarto ele desconversava, pois não tinha intenção de gastar a sua parte do dinheiro.  

Se um dos filhos ligava para saber dela, Jesuíno dizia que estava tudo bem e mal deixava a mãe conversar. E se um deles sugeria uma visita, Jesuíno era grosseiro com os irmãos.

-Mamãe está muito bem aqui, não se preocupe. Não temos quarto de hóspedes e o hotel fica longe. 

Ao se aproximarem da data do casamento das gêmeas, Jesuíno e sua esposa pediram dinheiro emprestado à dona Josefa.

-A senhora não precisa desse dinheiro e nós estamos precisando nesse momento.

-Você recebeu a sua parte, o que fez com o dinheiro, Jesuíno?

-Paguei umas dívidas que estavam atrasadas e agora temos que oferecer uma festa de casamento para as meninas.

-Estão contando com a minha parte para a festa? Não está certo isso! Se você não pode pagar uma festa para suas filhas, elas que casem sem festa.

-Vou pagar a senhora, se faz tanta questão desse dinheiro. Mas, aqui em casa a senhora não tem nenhuma despesa e ainda tem a pensão do papai.

-A pensão é uma mixaria, meu filho, mal dá para os medicamentos.

-Não precisa me emprestar tudo, só uma parte. Assim que eu puder pagarei a senhora. Meus irmãos não precisam ficar sabendo.

-Se é assim, vou te emprestar. 

Jesuíno com sua lábia, tinha o poder de convencer a mãe. Ele era muito esperto. A sua parte do dinheiro estava aplicada. Ele queria era sugar a sua progenitora. Sabia que se ela fosse embora ia acabar dando o dinheiro para a Sueli.

Dona Josefa emprestou o dinheiro a ele e não teve coragem de contar aos outros filhos. Não queria que eles pensassem mal do Jesuíno. No fundo sabia que os irmãos não gostavam muito dele e da sua esposa, a achavam antipática e orgulhosa.

O tempo foi passando lentamente para algumas pessoas e muito rápido para outras. 

Ariana estava com muita saudade da avó e não conseguia falar com ela. Cada vez que ligava, uma das primas ou a tia dizia que a avó estava descansando. 

Com Sueli ou os irmãos acontecia a mesma coisa. Mesmo que ligassem em horários diferentes, a desculpa era de que a avó estava descansando e não podia atender, mas que ela estava bem de saúde.

Chegou o dia do casamento das gêmeas. Os noivos acharam melhor casarem no mesmo dia e dividirem a festa. Optaram por uma festa íntima, num dos clubes da cidade. Apenas a família e os amigos mais chegados foram convidados. Resolveram investir na lua de mel. Um casal iria para a França e o outro para Cancun.

Dona Josefa vestiu a sua melhor roupa  e quando saiu do quarto encontrou a casa vazia.

Será que esqueceram a pobre mulher?

Não deixe de acompanhar a história no próximo domingo!

Grata pela visita!
Abraços,
Cidália.






60 comentários:

  1. ola tudo bem ? A sua historia é a realidade de muitas familias, sempre tem alguem querendo se dar bem com os idosos , já estou ansiosa pela continuidade . voce escreve muito bem . sucesso, bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Laini, tudo bem!
      Obrigada pelo comentário, gostei da sua opinião!! É verdade!
      Oba! Beijos!!

      Excluir
  2. Coitada de dona Josefa caiu na conversa do filho ,mais essa é a realidade da vida muitos fazem isso com idosos, vc escreve muito bem Cidália eu me emociono com cada capítulo dessa história já tô ansiosa pelo próximo capítulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Cleuza, ela não soube dizer não pra ele!!
      Oba! Obrigada pelo elogio e apoio de sempre!!
      Beijos!

      Excluir
  3. boa tarde, como vai? Gostei bastante de ler mais um pouco sobre essa história que retrata a realidade de muitas familias, e infelizmente tem pessoas que nem ligam para a sua propria familia, mas nao pensa que um dia provavelmente serao idosos também. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Conceição, estou bem!
      Obrigada pelo comentário e apoio! Verdade, é isso mesmo!!
      Beijos!

      Excluir
  4. Nossa, senti uma crítica ao comportamento mesquinho de muitos da sociedade atual, que sugam os idosos até não conseguirem mais. Fiquei curioso por saber como a história termina, avise-me dos próximos capítulos no coisasdavidaai.blogspot.com Abraços 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Amilton, obrigada pelo comentário e opinião! Oba, que bom, avisarei sim!!
      Abraços!

      Excluir
  5. Que triste e tão real... Infelizmente é algo que vemos cotidianamente. Sucesso com tua história, te desejo muita inspiração ^_~

    ResponderExcluir
  6. O Jesuíno é um filho muito ruim pra mãe, Dona Josefa é uma pessoa tão meiga, infelizmente nos dias de hoje há filhos assim como o Jesuíno que não liga pra mãe. É uma triste realidade, bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Lucimar, o Jesuíno é um filho desnaturado! Muito obrigada pelo comentário, sua opinião é muito importante para mim!!
      Beijos!

      Excluir
  7. Olá, tudo bem?
    Triste realidade esta que escrevestes. Jesuíno é um Mammon, demônio da ganância, como pode fazer tão mal a uma senhora maravilhosa como dona Josefa? E tanta gente largada que não tem mãe e dona Josefa largada pois não tem filho, porque não se pode chamar um sanguessuga desses de filho. Tomara que ela consiga ter um final feliz. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carmem,tudo bem!
      É verdade, o Jesuíno é um aproveitador!!
      Muito obrigada pelo comentário e pela opinião!
      Beijos!

      Excluir
  8. Parabéns pela trama, a ganância tem destruído muitas famílias e é o mal dessa geração que quer se dar bem, mesmo que isso implique na desgraça do outro. Triste realidade! Curiosíssima pelo final! 🌺😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo comentário!! É a pura verdade, infelizmente!
      Aguarde...
      Beijos!

      Excluir
  9. Oi tudo bem?
    Gostei bastante da historia você escreve muito bem, conseguiu transformar em palavras a triste realidade dos dias atuais da nossa sociedade, me avise quando tiver mais um capitulo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tais, tudo bem!
      Oba, que bom que você gostou da minha história, avisarei sim!!
      Obrigada, beijos!

      Excluir
  10. A vida imita a arte né? Seu texto descreveu a realidade de grande parte das pessoas hoje em dia, infelizmente. Gostei muito da história e fiquei curiosa para ler mais. Aguardarei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Renata, sim!!!
      Que bom que você gostou, oba!
      Obrigada, beijos!

      Excluir
  11. Oi, tudo bem?
    Que história triste, hein? E, que infelizmente, é a realidade do nosso país. Mas sua escrita é muito boa e estou ansiosa pelo próximo cap.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem!
      Sim, infelizmente! Muito obrigada pelo comentário e elogio!!
      Oba!!! Beijos!

      Excluir
  12. Infelizmente este é um fato que não é raridade na nossa sociedade atual. Muitas pessoas acabam se aproveitando dos que já não tem mais tanta capacidade de se defenderem sozinhos e são mais dependentes, até mesmo com familiares.
    Sua escrita nesta resenha está incrível.
    Um abraço do Marcelo Júnior do Mistérios Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcelo, concordo com você! Obrigada pelo comentário, opinião e elogio!!
      Um abraço!

      Excluir
  13. Olá!

    Jesus preciso da continuação dessa história. Mas falando de realidade é triste ler e pensar que alguma senhora ou senhor está passando por isso nesse momento, muitos filhos safados que não tem a capacidade de devolver o amor e o zelo que tiveram quando crianças. Gostei muito do sua maneira de escrever e do capricho com a história, parabéns pelo trabalho. EU volto para conferir o desfecho.

    Beijos e Sucesso!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Thayza!
      Seu comentário me deixou muito contente!! Concordo com você, é triste mesmo! Que bom que você gostou da minha escrita!!
      Muito obrigada!! Oba, vou esperar!
      Beijos!

      Excluir
  14. Gente, que filho é esse. Estou com muita pena da Josefa. Ela não merece ser enganada como está sendo pelo livro. O fim dessa história me cortou o coração, com certeza eles deixaram a coitada para trás, pois o interesses deles era sugar o pouco dinheiro da coitada. Mas que justiça seja feita. Espero que eles paguem por todos os males que estão fazendo. Domingo sai o próximo capítulo. Quero muito ler. Estou achando a história muito boa, Cidália. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leandro, boa pergunta: que filho é esse? Um desnaturado, com certeza! Obrigada pelo comentário, gostei da sua opinião!! É ótimo saber que você está gostando da história!
      Abraço!

      Excluir
  15. Oie!
    Nossa coitada da dona Josefa, mas infelizmente essa é a realidade do que muitos filhos aprontam com as suas mães, que devido a idade avançada não tem como se defender e ficam a mercê, desses filhos que não merecem as mae que possui.
    Gostei do texto!

    Beijos!
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eli!
      Gostei muito do seu comentário e da sua opinião!! Sim, é uma triste realidade em algumas famílias!
      Obrigada, beijos!

      Excluir
  16. Nossa que filho a dona josefa tem, nem acredito que vou ficar na curiosidade até domingo para saber o que aconteceu.
    Ótima história, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Andreza!
      Muito obrigada pelo comentário!!
      Daqui a pouco posto mais um capítulo, aguarde!
      Beijos!

      Excluir
  17. Infelizmente essa história acontece em muitas famílias viu?
    big beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Lulu, infelizmente!!
      Obrigada pelo comentário!
      Big beijo!!

      Excluir
  18. Tô vendo uma história triste pra pobi da mulher, se fosse eu emprestava nada. Sou nem besta kkk bjs blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Ana Márcia, é bem triste!!
      Obrigada pelo comentário!
      Beijo!

      Excluir
  19. parabés precisa mesmo escrever sobre este fato ,infelizmente essa ainda é uma realidade nos dias de hoje .pois acontece em muitas famílias .
    Amei seu blog interessante bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Daiana, fico feliz sabendo que você gostou do meu blog, obrigada!!
      Valeu pela opinião, gostei do seu comentário!
      Beijo!

      Excluir
  20. Oiii, eu achei tão triste para a mãe ter um filho que a engana, infelizmente e a realidade de muitas mães por aqui que caem nas armadilhas e mentiras que os filhos fazem para cumprir algo ruim.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Morgs!
      Obrigada pelo comentário, gostei muito da sua opinião!!
      Beijinhos!

      Excluir
  21. Acho que essa triste história se repete muitas vezes na realidade.
    Nossa, fazia um tempo que eu não visitava o blog e não lia os contos, gostei do que vi aqui hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Beatriz!
      Que bom que você gostou da história, apesar de triste!!
      Obrigada, beijos!

      Excluir
  22. Infelizmente, muito óbvia essa história, mas nem por isso menos revoltante! Não consigo entender como há filhos que acham que quando os pais envelhecem são descartáveis, esquecem-se eles que foram essas pessoas que os amaram e protegeram nos momentos mais indefesos da vida. Muito revoltante mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Andréa!
      Pura verdade, muito revoltante!! É difícil entender o que se passa na cabeça das pessoas.
      Obrigada pelo comentário e opinião!! Gostei muito!
      Beijo!

      Excluir
  23. Oi.
    Na hora que li esse texto, fui recordando de uma novela que muito amo, livro também, Éramos seis. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lilian!
      Olha só, que legal!! Lembro vagamente dessa novela!
      Obrigada pelo comentário!!
      Beijo!

      Excluir
  24. Infelizmente isso tudo existe, e muitas famílias enfrentam essa realidade. Mais que as pessoas possam olhar com mais amor pro próximo, e lembra que um dia pode ser nessa situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rachel!
      Muito obrigada pelo comentário e opinião, gostei!!
      Beijos!

      Excluir
  25. Oiii!

    que texto maravilhoso! Você escreve muito bem! Fiquei revoltada aqui com o rumo que as coisas foram tomando!
    Parabéns pelo post!

    beijnhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Paula!!
      Obrigada pelo comentário e elogios!
      Beijos!

      Excluir
  26. oie, gostei do tema, bacana abordar esses fatos envolvendo idosos, é algo bastante real no nosso mundo, infelizmente. Vou acompanhar a próxima parte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tamara!
      Oba!! Que bom que você gostou!
      Obrigada pelo comentário!!
      Beijos!

      Excluir
  27. Todas vezes que tenho um tempo vago venho aqui ler os contos. Adoro teu blog Ci você é incrível <3

    ResponderExcluir
  28. Olá,

    Esse conto só mostra o quanto os seres humanos podem ser gananciosos e mesquinhos. O conto é bem curtinho no entanto provoca muitos sentimentos em que lê.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Thayenne!
      Muito obrigada pelo comentário e opinião!! É verdade! O conto está em partes...
      Beijos!

      Excluir
  29. Olá, tudo bem? Me bateu uma pena no final pela pobre mulher. Infelizmente isso é reflexo mesmo na nossa sociedade hoje em dia. Irei acompanhar a continuação, gostei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carol, tudo bem!!
      Oba, fico feliz que tenha gostado da história!
      Obrigada pelo comentário, beijos!

      Excluir
  30. Olá! Um retrato do que os idosos enfrentam, se tornando dependentes de pessoas que deviam ama-los acima de qualquer coisa, mas não é bem assim que acontece.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luana!
      Verdade, concordo com você!!
      Obrigada pelo comentário, beijos!

      Excluir