domingo, 3 de julho de 2016

Destino incerto

Sentado na sala de espera do aeroporto, ouço a última chamada para o meu voo. Caminho apressadamente entre os passageiros, entro no avião e ocupo o meu lugar. Encosto a cabeça e fecho os olhos, enquanto o avião deixa a pista para trás e voa para o céu.
Mil pensamentos afloram à minha mente. Lembranças há muito tempo adormecidas. Decisões tomadas que mudaram a minha vida. Atitudes irreversíveis? Quem sabe? Nunca é tarde para recomeçar!
Fui um jovem apaixonado que deixei o amor em segundo plano, sem lutar. Talvez por timidez, na época eu era muito envergonhado. Ela era uma jovem viúva, mãe de três filhos. 
E eu o melhor amigo do seu irmão. Cantávamos juntos, formávamos uma dupla. Às vezes, ela cantava conosco. Tinha uma voz muito doce e melodiosa.
Como era linda! Ela via em mim apenas um amigo e eu não tinha coragem de demonstrar o meu afeto por ela. Como fui bobo, ingênuo e tremendamente tímido!  Abafei no meu peito aquele sentimento tão puro e verdadeiro.
Deixei que ela refizesse a vida ao lado de outra pessoa. Jamais consegui declarar a minha paixão, o meu amor.
Conheci uma moça e quando me dei conta já era um homem casado. Tive filhos, me tornei um pai responsável e um bom marido. O violão era o meu passatempo nas horas vagas, a dupla já não existia mais. Meu amigo se fora e levara com ele o nosso sonho de viver da música.
Durante muitos anos aquele amor ficou bem guardado no fundo do meu coração. Enquanto dedilhava as cordas do violão era nela que eu pensava.  Aquilo me mantinha vivo, esperançoso, sonhador.
Em momento algum deixei de ser um marido fiel, mas não conseguia controlar o pensamento. Esse pertencia a outra pessoa. Apenas meu corpo estava ali ao lado da minha esposa.
Só quando os filhos estavam casados e o relacionamento entre minha esposa e eu havia esfriado, voltei a pensar naquele amor entorpecido. Imaginei como seria o reencontro, como eu contaria tudo a ela.
Sim, havia chegado a hora de abrir meu coração e deixar extravasar aquele sentimento que, mesmo depois de muitos anos, incendiava o meu peito e me aquecia por inteiro.
Eu sabia que ela estava sozinha. Como reagiria ao saber que eu sempre fora apaixonado por ela?  Será que aceitaria o meu amor? Será que ainda viveríamos uma grande paixão como eu havia sonhado?
Absorto nos meus pensamentos, nem me dou conta que estamos enfrentando uma pequena turbulência. A aeromoça chama a minha atenção com as suas orientações. Mas, o que é aquela turbulência perto da turbulência pela qual a minha vida está passando?
Talvez se eu tivesse confessado o meu amor por ela quando ainda era solteiro, tudo poderia ter sido diferente. E se ela também me amava e assim como eu, manteve esse amor em segredo?
Com essa esperança, inundando a minha alma, eu estava indo ao seu encontro. Queria surpreendê-la, esperando ser surpreendido.
A viagem chega ao fim, o avião aterrissa e eu desço rumo a uma nova vida. Por enquanto meu destino é incerto. Tudo vai depender da reação dela quando eu abrir meu coração. 
Terei coragem desta vez? Encontrarei força para seguir adiante se for rejeitado? De uma coisa terei certeza, o amor que sinto por ela, não será mais segredo! 


Qualquer um que tomasse o seu lugar seria um substituto fraco. Amo você, com um amor tão grande que simplesmente não pode continuar crescendo no coração, precisa saltar para fora e se revelar em toda magnitude.
Anne Frank
 Se gostou, deixe um comentário, ficarei feliz em respondê-lo.
 Leia, também, as outras histórias acessando http://contosdacabana.blogspot.com.br/
 Obrigada pela visita, um abraço!

32 comentários:

  1. É muito difícil uma amizade de muitos anos se transformar em amor,e pelo que eu li ela tem por ele somente amizade de irmão ,parabéns a escritora esse conto lindo e comovente me fez chorar .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário! Talvez ele não tenha se dado conta!
      Beijos ❤

      Excluir
  2. Imaculada Braz
    Que difícil situação mas o melhor é enfrentar a realidade do sim ou não e sair desta sofrencia .bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, com certeza!
      Obrigada, Imaculada! Gostei muito da sua opinião.
      Beijos 💝

      Excluir
  3. Simplesmente lindo! Amei cada detalhe da narrativa! ��❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Dryelle! Amei seu comentário.

      Beijos ❤

      Excluir
  4. Parabéns pelo Blog Cidália, muito forte o conto e triste, mas amei, acho que contos e livros são como os filmes, nos levam pra uma viagem além da realidade. Faz bem pra imaginação.
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Klara! Gostei bastante da sua opinião. Seu comentário me deixou feliz! Valeu 💋💋

      Excluir
  5. Gostei bastante da sua narrativa, confesso que me emocionei com todos os detalhes ditos.
    beijos!
    www.garotadelicada.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, fico sempre feliz com suas palavras!

      Beijos❤

      Excluir
  6. Gosto de ver tudo por um outro ponto de vista! Se ele não se declarou quando jovem já era, devia dar mais valor à esposa e família atuais, que não tem culpa de nada. Mas mesmo assim, adorei a história, a narrativa, o clima... está tudo perfeito! Bjss

    www.ellenmelloblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelo comentário, Ellen! Amei a sua opinião. É sempre bom receber um elogio!
      Beijos❤

      Excluir
  7. Por isso digo que por mais que vejamos alguém, jamais saberemos sobre seus segredos mais profundos. As inspirações e decisões são únicas e uma vez tomadas, se quiser voltar não há outra maneira senão fazer a curva. Mais um texto ótimo e reflexivo! Parabéns!!! Bjus!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Ninguém sabe o que se passa na cabeça de outra pessoa. Nem no coração!!
      Obrigada pelo comentário, gostei muito da sua opinião!
      Valeu❤

      Excluir
  8. Respostas
    1. Obrigada!! Aguarde, em breve darei sequência.
      Beijos❤

      Excluir
  9. Gostei bastante, muito emocionante. Amei cada palavra. Parabéns 👏👏

    ResponderExcluir
  10. Quantas pessoas perde um grande amor por falta de coragem, mas acho que depois de tanto tempo chegou realmente a hora para ser feliz ou tentar esquecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, concordo com você! Obrigada pelo comentário! Gostei muito da sua opinião.
      Beijos❤

      Excluir
  11. Que lindo <3 Adorei. Gosto bastante de textos. :) Sucesso viu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Danielly, que bom que gostou!

      Valeu, beijos.

      Excluir
  12. Q conto comovente, me fez lembrar de romances Nova cultura que fui viciada por anos e amava. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ana Carla! Fico feliz que tenha gostado.

      Beijos!

      Excluir
  13. Amei! Muito emocionante.
    Beijinhos
    www.detalhesdananny.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Elaine! Que bom que você gostou!

      Beijinhos.

      Excluir
  14. Respostas
    1. Obrigada, Danielle, fico muito feliz com seus comentários.

      Beijo!

      Excluir
  15. Cidália, que texto sensacional. Achei simplesmente lindo.Ele me fez pensar um pouco em minha vida. As coisas que mantemos e segredo e não temos coragem de dizer. Às vezes, me sinto com o seu personagem. Parabéns.
    Obs: vou passar todos os dias aqui no seu blog, quero conhecer todos os seus contos maravilhosos aos pouco.
    Abraço!

    http://meuniversolb.wixsite.com/meuniverso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Leandro! Que bom que você gostou! Fico feliz em saber que meus textos são úteis.
      Oba! Que legal!! Valeu!
      Abraço.

      Excluir