segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Resgatando o passado



Para descobrir fatos que desconhecia sobre seu pai biológico, Frederico se infiltrou na casa do tio sem que soubessem quem ele era. Sabia apenas que sua mãe o conhecera num circo que havia passado pela cidade na década de setenta. Tiveram um breve relacionamento e dessa união ele nasceu. O tempo passou sem que Frederico conhecesse a história do seu pai. Sua mãe, dona Arminda, também não sabia nada sobre a vida do homem que a iludira. Anos mais tarde, quando seu filho estava com cinco anos, ela se casara e tivera outros filhos. Seu marido era um ótimo pai e sempre tratara Frederico como se fosse seu filho.
Depois de homem feito e com a proximidade do seu casamento, ele sentiu curiosidade pelo homem que lhe dera a vida. Com o pouco que sabia, apenas o nome e a profissão, começou uma investigação por conta própria. Conseguiu descobrir o último endereço por onde passara o circo antes de falir. Era numa cidade que ficava bem distante da sua e nas férias viajou para lá. Tinha trinta dias para descobrir algumas coisas sobre seu pai.
Depois de localizar a casa do irmão do seu pai, com a ajuda da internet, descobriu que o tio estava precisando de um motorista particular. Candidatou-se para a vaga contando uma mentira. Disse que estava morando ali há mais de um mês e estava desempregado. Falou que vivia de favor na casa de um parente. Como era um homem distinto, bem apessoado, o senhor Joaquim simpatizou com ele e o contratou por trinta dias para experiência.
Frederico se mudou para a casa do patrão que era um senhor aposentado. Seu Joaquim teve uma perna amputada por conta de um acidente e por isso precisou contratar um motorista. Sua esposa não sabia dirigir e estava difícil contar com a ajuda dos vizinhos, não era sempre que estavam disponíveis.
Sempre que tinha oportunidade de conversar com o patrão, fazia perguntas sobre sua família. Ficou sabendo que o casal tinha dois filhos que moravam no exterior e que raramente apareciam para fazer uma visita aos pais. Soube também que seu Joaquim tivera uma irmã que havia falecido já há algum tempo e que tinha um irmão que durante muitos anos acompanhou um circo. Não disse mais nada e quando Frederico começou a mostrar muito interesse pela história, seu Joaquim mudou de assunto.
Com isso a curiosidade do Frederico só aumentou. 
Três dias depois, tornou a tocar no assunto e perguntou ao patrão se ele possuía uma foto dos irmãos. Nesse dia seu Joaquim estava de bom humor e pediu à esposa que mostrasse as fotos da família para o motorista. Quando Frederico viu a foto do pai logo notou a semelhança entre os dois, pensou até que estava vendo a própria foto. Felizmente, seus patrões não notaram a expressão de espanto em seu rosto. 
Frederico começou a fazer mais algumas perguntas e seu Joaquim contou que seu irmão foi viver na rua depois que o circo faliu. Era um homem sem família, não havia casado e perdera os pais. Não se dava bem com o único irmão. Tiveram uma briga na juventude e nunca mais se falaram.
Para Frederico foi chocante descobrir que seu pai se tornara um andarilho, sendo que ele estava numa boa situação financeira, pois tinha um ótimo emprego. 
Como o tempo estava passando rápido e suas férias estavam chegando ao fim, tomou a decisão de contar a verdade aos patrões. Contou toda a verdade sobre a curiosidade em descobrir sobre seu pai e que tinha esperança de conhecê-lo. 
Seu Joaquim não sabia sobre o paradeiro do seu irmão, sabia apenas que um dos seus vizinhos vira-o uma vez dormindo numa calçada numa cidade próxima. E só depois que soube sobre a história do Frederico foi que notou a semelhança que o rapaz tinha com o seu irmão. Nem era necessário um exame de D.N.A. Prometeu que o ajudaria a procurá-lo. Ficou muito feliz em saber que tinha um sobrinho.
Frederico voltou para sua cidade e seu trabalho depois de ajudar o tio a encontrar um novo motorista. Contratou um investigador e com a foto, apesar de antiga, e os dados que possuía, pensou que seria mais fácil encontrá-lo. 
Ele estava noivo e queria encontrar seu pai até o dia do seu casamento. O detetive começou o seu trabalho contando com a ajuda do seu Joaquim para obter todas as informações possíveis. Chegou a conseguir com o vizinho que o vira na rua, uma foto mais recente.
Uma semana antes do casamento, Frederico recebeu um telefonema que o deixara muito feliz. Seu pai, o senhor José, fora encontrado. Ele vagava pelas ruas numa cidade próxima dali. Talvez tenha sido o destino, quem sabe? Para ele era a mão de Deus dando aos dois a oportunidade de se conhecerem. 
O encontro entre eles foi emocionante e Frederico prometeu que cuidaria dele. Levou-o ao médico para fazer um check-up e deu-lhe muito carinho. Seu casamento foi do jeito que ele sempre imaginou. Com toda a família presente, incluindo seus tios e seu pai que acabara de conhecer. O tempo que passou na casa do seu Joaquim não lhe trouxe arrependimentos, afinal, não prejudicara ninguém. 
Aliás, ele fora o responsável pela união dos irmãos que voltaram a fazer as pazes muitos anos depois. Sua mãe e seu padrasto não se intrometeram, sabiam que Frederico tinha o direito de conhecer o pai e o apoiaram em sua decisão.
Seu José conquistou a nora e ficou cuidando da casa para que o casal pudesse fazer a viagem da lua de mel que havia sido adiada.
Frederico tornou-se um homem completo, muito mais feliz e agradecido a Deus por ter conseguido realizar seu sonho.




56 comentários:

  1. Q lindo, quem dera isso fosse com todos q perderam contato com algum ente querido ne. Amei como sempre rsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Carla! Verdade, seria muito bom!!
      Beijos❤

      Excluir
  2. Que lindo. Adorei o fato dele ter conseguido encontrar o pai. Arrasou como sempre.
    Beijos

    www.baudasresenhas.com.br

    ResponderExcluir
  3. Que lindo! Adoro histórias com finais felizes como esta.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Acho incrível quando a internet proporciona encontrar quem procuramos tanto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é realmente muito bom!!

      Obrigada, beijos. ❤

      Excluir
  5. Linda história, Cidália. Eu fico imaginando quantas pessoas esteja na mesma situação de Frederico. Quantas pessoas não conhecem o pai biológico e gostaria de conhecer. O Frederico teve sorte ao conseguir usar a tecnologia para conseguir chegar até o tio e depois ao pai. Que mais pessoas tenham a mesma sorte do Frederico. História encantadora!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Leandro! Verdade, muitas pessoas não sabem nada sobre o pai e outras até sabem, mas não fazem questão de encontrá-lo. Talvez por saberem que foram abandonados quando crianças. Ainda bem que no caso do Frederico deu tudo certo para os dois, pai e filho.
      Tomara!! Obrigada!
      Abraço.

      Excluir
  6. Que história linda Cidália! Vc sempre prende minha atenção com seus contos 💜

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Dryelle! Fico feliz em saber que você gosta dos meus contos.

      Beijos!

      Excluir
  7. Estou simplesmente viciada em ler estes contos! Parabéns linda, bjos

    http:dicasdarenally.wixsite.com/blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, que ótima notícia, Renally!

      Obrigada, beijos❤

      Excluir
  8. Gostei bastante do conto e da história que ele trouxe. Achei muito bonita

    ResponderExcluir
  9. Oiii, como vai
    Garota eu gostei tanto do seu texto, você está me encantando cada vez que posta algo, parabéns. Quem dera que fosse assim não é mesmo?
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem!
      Você me deixou muito feliz com seu comentário, obrigada!
      Pois é!!

      Beijos.

      Excluir
  10. Que lindo. Podia ser assim sempre que alguém perdesse contato com um ente querido. Adorei o fato dele ter conseguido encontrar o pai.Adoro histórias com finais felizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou, Sarah! Verdade, seria maravilhoso.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  11. Que lindo! Ainda mais esse final <3
    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Lindo conto Ci. Arrasou mais uma vez. Adoro teu blog <3

    ResponderExcluir
  13. O mais importante é correr atrás dos nossos sonhos ele lutou, teve esperança e conseguiu a presença de seu pai no dia mais importante da sua vida. Que lindo !!! Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oiee ^^
    O fato de os personagens terem se conhecido num circo me lembrou alguns livros incríveis que eu li uma vez...hehe' Uma pena que nem todo mundo tenha um resultado feliz como o do Frederico ao buscarem suas origens, seus pais biológicos que, por alguma razão, os abandonaram, né?
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Dryh,
      Olha só, que maravilha!
      Verdade, seria muito bom se fosse assim p todo mundo.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  15. Que história encantadora! Apesar de curta, sabe cativar e impressionar! Muito bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lilian!
      Estou feliz por você ter gostado.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  16. Final feliz!!!! Amo que amo ;-) Beijão #Luma

    ResponderExcluir
  17. Oie, é um bom conto, bem escrito e com um final bonito, nos apresentando a situação de muitas pessoas que só querem conhecer suas verdadeiras origens. Parabéns, continue escrevendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Tamara, fiquei imensamente feliz com a sua opinião!

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  18. Oi
    curto mas com uma boa mensagem de esperança.
    abraços

    ResponderExcluir
  19. Que conto lindo! Gostei e renovador, você escreve muito bem e tem maior talento. Escreva mais que vou ler com maior prazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rafael, suas palavras são motivadoras!

      Oba!! Abraço.

      Excluir
  20. oie!
    Que conto mais lindo! Delicado e emocionante!
    gostei bastante da leitura, e espero que continue a nos presentear com histórias assim.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Carla!
      Você me deixou muito feliz com suas palavras!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  21. Oie, tudo bem?
    Que conto mais bonito! Gostei muito. Parabéns!! Você tem muito talento :D
    Beijo!

    ResponderExcluir
  22. OOi!
    Parabéns novamente, arrasou!
    Conto lindíssimo e com mensagens maravilhosas.

    Beijoos!

    ResponderExcluir
  23. Oi!!
    Como você escreve bem, faz a gente se apaixonar pelas palavras.
    Mais um conto que deixa uma mensagem linda para quem o lê.
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Liziane,
      Seu comentário me deixa muito feliz.

      Obrigada, beijão!

      Excluir
  24. Oie
    esses contos são muito legais, pois são rápidos e gostoso de se ler, adorei e muito legal e cativante

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Catharina,
      Quando resolvi escrever histórias curtas foi exatamente nisso que pensei.
      Que bom que você gostou!


      Obrigada, beijos.

      Excluir
  25. Olá, adoro seus contos, continue postando, são bem rápidos, fluidos e trazem histórias encantadoras, que sorte do frederico de ter conseguido o que tanto queria <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gabriela,
      Fico muito feliz em saber que você gosta das minhas histórias.

      Obrigada, beijos!

      Excluir
  26. Muito bom esse conto, ja vou imprimir para contar essa historia para meus amigos.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, que bom que você gostou, Ana!

      Obrigada, beijos!

      Excluir